• en
    • pt-br
Menu
Lentes Coloridas

Tendência em evidência: lentes colorias

Chegou aquela hora do ano e da moda, de deixar seus olhos lindo ainda mais à mostra. Vimos uma invasão imensa de lentes coloridas no street style por aí (ou pelo Instagram), e principalmente no Coachella.

As lentes divertidas e colorias (amarelas, vermelhas, azuis e verdes) são perfeitas para a cidade, e melhores ainda para estes dias de outono. São óculos que podem e devem ser usados o dia TODO: na rua, no café, no escritório e até mesmo no happy hour. São óculos que tem proteção UVA/UVB, ou seja são de sol, mas não são para ficar esturricando na praia, porque não protegem como uma lente preta. Estes óculos são a melhor definição de acessório cool, para compor o look!

Quem curte esta vibe bem anos 70 deve investir em pelo menos um par. Uma coisa eu garanto, é cool, sexy e vira e mexe volta à moda. Basta olhar as fotos do John Lennon da década de 70 para entender. Vá fuçar na gaveta da mamãe.

Separamos os mais cool da temporada 🙂

 

 

 

Óculos para você brilhar

Você nasceu para brilhar. Não importa o que dizem, não importa se sua auto estima oscila, não importa seu cabelo e menos ainda o lugar para onde estiver indo. Brilhe, o caminho todo.

Caso você precise de ajuda para enaltecer sua luz interna (que já é bem forte, tenho certeza), a moda está aqui para te ajudar. Os brilhos, os excessos e os strass estão fazendo um come back bem elegante. A Gucci, por exemplo, extrapolou no tamanho e na quantidade de pedras nos seus óculos apresentados na última coleção, deixando claro que o look das 9 às 5 merece um up. E que up, hein?

Diversas marcas, como a Jimmy Choo, apostaram no glitter, outras como a Miu Miu, em pedras coloridas e algumas simplesmente não seguem regras e querem mais é chamar atenção, como é o caso da sempre ousada e mega extravagante Anna Karin-Karlsson.

O que ficou claro é que as pedras saíram do look habiée e conquistaram as ruas e a luz do sol. O fato destes óculos extravagantes terem lentes solares deixa claro que não precisamos mais esperar um bale de gala para se ‘emperiquitar’. Vai ao supermercado? Ao salão? Trabalhar? Então merece um belo par de óculos!

Apesar deste movimento diurno ficar evidente, ainda assim precisamos chamar atenção à noite. A dica aqui é escolher em um par de óculos (deste select extravagante) que te atraia e trocar as lentes solares por graduadas. Se vc não tiver grau nenhum e ainda assim quiser entrar para nosso time, então faça um par sem grau mas com proteção UVA/UVA e antireflexo. Os óculos são o acessório mais chamativo de todos e garanto que te farão brilhar, de dia ou à noite.

Selecionamos alguns pares bem interessantes para começar este seu namoro com os brilhos. Não deixe de conferir o vídeo no final desta matéria com dicas maravilhosas para combinar óculos com jóias à noite! Uau!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Boz Eyewear: Criatividade a toda prova

“Devemos fazer história para o futuro”

A indústria tem, de certa forma, deixado um pouco de seu preciosismo para trás. A impressão 3D, os avanços tecnológicos e a máquina comercial distanciaram muitas vezes os criadores de suas próprias criações. Tendências e metas se instalam e a criatividade é posta à prova. Poucas são as marcas que não permitiram que nenhum destes fatores ‘contemporâneos’ distraíssem seu processo criativo. Boz Eyewear é uma destas joias-raras.

 

Boz eyewear

Os óculos Boz Eyewear vieram ao mundo nos anos 90 através das mãos capazes dos já renomados designers Joëlle e Jean-François Rey, da JF Rey eyewear. JF Rey já era uma marca muito forte, conhecida por criar novos limites e por transformar os óculos de grau em acessórios ultra cool nos idos dos anos 80. Cores, formas e muita ousadia sempre foram sinônimos da marca. Dito isto, os óculos Boz não eram estranhos à novidade.

Identidade, fantasia e design estão no âmago do “Boz-look”, que pode ser ornamentado com pedras, ou ser tão cru quanto acetato não polido. A essência da marca está presente em cada detalhe, e é aí que a maestria criativa e o domínio artesanal entram e desempenham um papel enorme.

Joëlle Rey é Diretora Criativa da Boz Eyewear. Antes de entrar para a indústria de óculos ela trabalhou em design de moda. Como uma costureira que começa a imaginar obras-primas de alta costura em papel cortado, o mesmo acontece com Joëlle. Ela pensa nos óculos em termos arquitetônicos. Um desenho torna-se um protótipo de papel (veja, um protótipo de papel 3D ornamentado, mais próximo ao Papier-mâché do que uma simples máscara cortada em 2D), e esse protótipo então absorve cores, texturas e volume e floresce para se tornar os óculos que conhecemos.

Tive o prazer de me sentar durante alguns minutos com Joëlle durante a última edição da feira ótica DaTe em Milão e foi movida por sua energia e paixão. Ela começou nossa conversa com uma frase muito enfática: “Temos de agir como satélites e criar e proliferar a mudança”. Bang! Sem mais ela me conquistou. Se a conversa tivesse parado ali, eu já sairia contente. Segui com minha pergunta: “Como se cria mudança num mundo de ‘ready-mades’, de ‘já visto’, de ‘copycats’, de regras editoriais e de diretrizes comerciais?” Ao que nossa musa respondeu: “Não seguimos tendências. Cor, tecidos e suas fibras orientam nosso processo. Eu observo rostos e culturas muito de perto. Eu tento vestir cada rosto com um óculos específico, e não o contrário”.

Pois bem: inovação técnica trabalhando ao lado da maestria artesanal para criar óculos realmente deslumbrantes, que desde a própria concepção foram pensados para vestir rostos, e não ideais. Passaram-se anos ​​desde o debut da primeira coleção, no entanto, Boz Eyewear ainda segue absolutamente contemporâneo, criando tendências e deixando seguidores ao longo do caminho, tal como esperado. De fato, Joëlle segue “fazendo história para o futuro”, mais uma frase que ficou do nosso breve encontro.

Lapima: Shaped in Brazil

Já ouviu falar da Lapima?

Lapima é um emaranhado de coisas, de texturas, de estilos, de estudos, mas mais que tudo, é um óculos inusitado. Então, se você ainda não ouviu falar nesta marca, bebê, você está perdendo tempo!

Ouso dizer que desde o época áurea das marcas esportivas (leia-se Evoke ), o Brasil não via tanto investimento e ousadia em design nacional. Lapima não é convencional e não quer seguir tendência, até porque sabemos que quem faz a tendência somos nós, não é mesmo?

Os designers por trás da marca passaram alguns anos estudando a moda e o mercado de óculos e concluíram que há espaço e desejo por aquilo que é de fato diferente. Este novo panorama propõe uma relação mais pessoal com marcas que abrem espaço ao diálogo com os usuários. Foi-se a era dos logos exagerados, da moda de mão única e das ditas tendências vindas das semanas de moda. O bacana hoje é montar sua moda, partido de peças que como a Lapima são produzidas com cuidado, em pequena tiragem e que não envelhecem jamais.

 

Óculos de sol feminino, Oliva, Lapima

Olivia

Óculos de sol feminino, Darcy 2, Lapima

Darcy 2

Os óculos partem do conceito de volume esculpido, sim, esculpiram a primeira coleção de óculos, completamente feita à mão, em solo nacional. O resultado é pura arte. Os óculos têm brilho, volume (note que a lente fica protegida dentro do acetato, da mesma maneira que nossos olhos se encaixam no crânio), textura e fluidez. As cores são uniformes, os exageros foram apagados. Os shapes, absolutamente orgânicos e femininos.

Com vibe vintage e um exagero minimal Lapima traz ao mercado uma coleção sólida, interessante e usável. Você que adora novidades e está cansado de mais de mesmo deve olhar (com muito amor) para esta marca.

Óculos de sol feminino, Carlota Petit, Lapima

Carlota Petit Azul

 

 

Urban Sports Eyewear

Sabe aquele óculos fácil de usar, que vai da praia ao almoço, ou da caminhada ao shopping? Leve, divertido, cool e embora siga a moda não é nada conceitual? Pois bem, são as peças urban sports e o vídeo abaixo explica quem faz parte desta família. PLAY!

Óculos com lentes espelhadas: sim ou não?

Quer saber se ainda vale a pena investir em um par com lentes espelhadas? Aperte o PLAY!

Verdade seja dita, as espelhadas vieram para ficar! Então não precisa ficar acanhada (ou acanhado) ao escolher um par bem reflexivo na loja. Mas, veja bem, como tudo na vida os modelos evoluíram e as cores mudaram, mas a tendência segue firme e forte! Agora, se quiser saber de fato quais os modelos mais cool e as marcas mais descoladas no quesito espelhadas, aí meu bem, só apertando o play mesmo!

🙂

 

Resultado do sorteio Lunettic x BTE

Gatinhas, terminou hoje a promoção Lunettic x By The Eyewear.

Nossa campeã sortuda vai levar para casa dois pares de sua escolha, e ainda uma consultoria da nossa expert. Os óculos são da coleção 2016 da Lunettic e são todos inspirados em temas vinatage.

Parabéns Lu Lins (@lucienelins84)!!! Mostra pro mundo que os óculos são a cereja do bolo!

Efeito Borboleta

A internet se ajoelhou nesta semana diante do lançamento do filme fashion da Miu Miu com Kaia Gerber, filha do ícone da moda dos anos 90, Cindy Crawford.

Kaia é protagonista do vídeo de lançamento da campanha de óculos Scenique, da Miu Miu. A campanha, faz jus ao título e explora aquela sensação lânguida de ficar na piscina, aproveitando um dolce far niente, como em um quadro de David Hockney.

As peças desta coleção flertam com um design retrô e tem na figura da borboleta, seu centro. Os óculos e o mood da campanha trazem à tona dois contrastes muito presentes na mulher Miu Miu: brincalhona e feminina. O design é exuberante e leve ao mesmo tempo. A coleção traz modelos em metal e acetato (mais grossos) e uma coleção ótica bem divertida e caricata.

Ainda neste tema vale relembrarmos de outras marcas que também exploraram e muito bem a questão do efeito borboleta, seja usando apenas sua forma, seja brincando com seu shape quase como uma máscara. A percussora deste ‘trend’ foi Peggy Guggenheim nos anos 50. Confira peças que vão te fazer voar!

Res Rei

Res Rei, From Italy with love.

Ah quanta poesia! Não preciso nem dizer que com um slogan romântico destes eu já fui flechada pelo cupido.

Morri de amores da primeira vez que vi uma foto da Minerva em turquesa, mas foi só namoro mesmo, infelizmente por motivos múltiplos temos pouco acesso ao infindável mercado ótico no Brasil. Lamentações à parte, vejamos quem é esta marca.

Res Rei é uma marca relativamente jovem (4 anos), com poucos pontos de distribuição. A estratégia por trás da criação e da distribuição é ter tempo suficiente para construir uma identidade e atender a clientes que conhecem a marca e sabem o que buscam nos seus óculos. Não são best-sellers e dificilmente veremos instagram posts com 10 iphones e 10 Res Reis alinhados na mesma mesa das trendsetters que fazem alvoroço no almoço.

O nome deriva do latim e quer dizer “A coisa”. Tudo na produção é italiano até o ultimo detalhe. As coleções tem nomes de imperadores e pesadores. Tudo na marca é bem cult e sofisticado. Não é uma marca comercial ou de fácil digestão, até porque o conceito que norteia as coleções não é seguir padrões, mas atender a identidades pessoais dos usuários. Vou repetir porque é o que mais gosto de fazer: Os óculos não deveriam atender a modismos, mas sim ajudar a criar personalidades INDIVIDUAIS, por favor, saíamos da massa amorfa que certa o mundo ready to-eat-wear-made-do!

O design é extremamente delicado, as cores, embora múltiplas, são escolhidas a dedo para conversar com o nome da ‘família’ seja ela a Minerva ou o imperador Aurélio.

Novidade apresentada no Mido que foi bastante vista em outras marcas é o shape hexagonal e a lente base zero. Muitas marcas apostam no acetato mais leve e em brincadeiras de cor, como esta do Giove com uma linha fininha destacando a lente do corpo da armação.

Res Rei é uma marca que vêm sendo construída devagarzinho, mas com o direcionamento de quem sabe o que faz. Vale olhar de perto e investir em um parzinho, uma coisa eu garanto, você não vai cansar de usar e não vai ver muita gente copiando seu estilo por aí.

Por que usar óculos de sol?

Qual a importância de usar óculos escuro, e principalmente, em educar as crianças pequenas a usá-los? A Dra Helena Ricci explica.

Primeiro é preciso diferenciar o uso de óculos escuro, de óculos com proteção ultravioleta (UV). Muitas pessoas compram óculos escuros sem conferir se eles realmente possuem proteção UV. Muitas vezes o compram de vendedores ambulantes ou de fornecedores pouco confiáveis com preços muito baixos que podem estar enganando o consumidor. Além disto, o fato da lente ser mais ou menos escura não tem relação nenhuma com sua proteção aos raios UV. Alguns óculos de grau transparentes, polarizados, coloridos, e até lentes de contato podem ter proteção UV (que devem ser complementadas pelo uso de óculos de sol).

Os raios Ultravioletas, principalmente o UVA e o UVB fazem parte da luz do sol à qual estamos expostos por toda nossa vida. Eles podem causar dano cumulativo ao longo dos anos nos tecidos do nosso corpo. Sendo assim, é imprescindível o uso de filtro solar e também óculos com 99-100% de proteção UVA e UVB. Em crianças é recomendável que o óculos de sol seja confeccionado com lentes mais resistentes a traumas e quedas (ex. policarbonato).

As seguintes condições podem ser associadas à exposição aos raios UVB e UVA:

– Lesões na pele da pálpebra.

– Catarata: opacidade do cristalino (lente transparente dentro do olho ) que pode precisar de correção cirúrgica.

– Pinguecula e pterígio: pequenas proliferações da conjuntiva (tecido que reveste o olho) que pode precisar de correção cirúrgica.

– Degeneração macular: alteração da retina na principal área de visão (tecido interno do olho que percebe a luz/ imagens e as envia ao nosso cérebro) com perda visual gradual, progressiva e irreversível.

Sendo assim, é recomendado a todos o uso de óculos com proteção UVA e UVB o ano todo! Quando exposto à luz solar intensa na praia, esquiando ou durante o dia a dia. Na dúvida, consulte seu oftalmologista!


Já assistiu?
Banner