• en
    • pt-br
Menu
As melhores óticas de NY Parte 2

Voltei de mais uma temporada em NYC, desta vez literalmente vasculhando o que a cidade tem de melhor no quesito eyewear, e como de costume preciso atualizar nosso guide, com as lojas que você não pode deixar de conhecer.

Punto Ottico Humaneyes

Uma vitrine tímida no Upper East esconde segredos dignos de uma galeria de arte. A loja é intimista, a exposição dos produtos é cuidadosamente pensada e super bem ilumiados como em uma galeria. Tudo separado por COR! Também, pudera, as peças que lá estão não são nada menos que peças esculturais. O foco está nas marcas independentes, e em novas apostas. Por lá encontramos, por exemplo: Vava, Jacques Durand, Masahiro Maruyama, Theo, Veronika Wildgruber , dentre alguns outros selecionados a dedo. O atendimento é impecável. Sem pressa, sem baboseiras de formato de rosto e sem usar a palavra “tendência”!

Three Monkeys Eyewear

Super descolada esta loja no Soho foi um achado surpreendente. As peças são bem trendy, e a seleção é enorme. O mais bacana é que tudo fica organizado por shape!!! As marcas que forram as paredes são, por exemplo: 40 million, Komono, Super, Toms e a própria 3 Monkeys. Os valores também são bárbaros, sem contar que fica em uma rua deliciosa.

ArtSee

São dois endereços, um em NYC e um em Miami. A loja já virou sinônimo de bom gosto e exclusividade dentre os #SpecsAddicts. O select vai de LA Eyeworks a Oliver Goldsmith vintage passando por Kirk & Kirk e Blake Kuwahara. São poucas peças, todas super atuais e muitas delas especiais ou numeradas. O atendimento é sublime. Incido esta loja para quem quer uma peça específica e não consegue encontrar ou para quem está em dúvida e quer ver além. Julio vai te ajudar!

Anne Et Valentin 

Adoro entrar nas lojas da Anne et Valentin. Pouquíssimos produtos expostos e atendimento excepcional. Só após um bate papo é que o vendedor começa a mostrar as peças que se encaixam no seu desejo, ou na sua personalidade. Mas não pense que virão aviadores ou pantos. O mix de mercadorias é bem diversificado, com muitos shapes inusitados, metais, acetatos e coes vibrantes. Além de várias peças Anne et Valentin, as lojas também vendem Jean Philippe Joly, Kuboraum, Jacques Marie Mage e Theo.

As melhores óticas de Veneza

Sempre que descrevo uma cidade estou me referindo a Veneza. Uma vez que as imagens da memória são traduzidas em palavras, as memórias se perdem. Talvez eu tenha medo de perder Veneza. Ou quem sabe ao falar de outras cidades eu já a tenha perdido, pouco a pouco_Polo, Cidades Invisíveis, Ítalo Calvino

Não existem meias palavras ou emoções incompletas quando se trata de Veneza. Não é uma cidade, é uma experiência. Não é antiga ou moderna, ela é em todo seu esplendor, o presente. Os turistas que por lá passam costumam se dividir entre os que amam e os que odeiam esta cidade cercada por 146 ilhas entrelaçadas por 450 pontes.

Para o poeta Brodsky, Veneza está acima da categoria de cidade, é uma vivência, um universo paralelo, um divisor de águas para quem pode se dar ao luxo de caminhar sem pressa por esta cidade que desconhece o movimento de carros, absorvendo seus ruídos, a melodia dos sinos, seus odores e sua infinita paleta de cores. Por lá não se caminha, se flutua.

Esta cidade, muito aquém da categoria de cidade, por ser ela metade conto de fadas e metade realidade, propicia uma sensação constante de ineditismo e descobertas ao se permitir caminhar e se perder em suas infinitas vielas que se desdobram magicamente. Veneza não é moderna, é eterna. Veneza é simplesmente, Veneza. Já dizia Peggy Guggenheim, uma das maiores e mais fiéis amantes que Veneza já teve:

Presume-se sempre que Veneza é a cidade ideal para uma lua de mel, mas é um erro grave. Viver em Veneza, ou simplesmente visitá-la, significa se apaixonar por ela, e no coração não sobra espaço para mais nada.

Fui tomada por este amor súbito, e é para esta cidade que volto a cada dois anos. Um dos motivos é para reviver a cidade mediante à famosa Bienal de Veneza, que a veste como uma criança que se fantasia para uma apresentação escolar. A cada dois anos me deparo com uma nova cidade, com novos artistas, discussões cada vez mais calorosas, premissas e obras inusitadas. Em meio a toda esta arte, encontro também, minha maior fonte de inspiração: a produção ótica que em Veneza (bem como tudo naquela cidade) é pra lá de especial. Ousaria dizer que há algo na água de Veneza (poluição à parte), porque a criatividade dos designers é aquém do resto do mundo. Se as ruas guardam segredos, então os mais bem escondidos são as óticas que abrigam peças esplendorosas.

Veja uma seleção das melhores óticas de Veneza.

Ottica Urbani

A loja data de 1952. Por lá já passaram Hemingway, Vedova, Carlo Scarpa e o cliente mais famoso: Elton John. São os três filhos do original Urbani que gerenciam a loja hoje. Todos os modelos são fabricados à mão em Belluno (centro de produção ótica do mundo, que está há 3 horas de Veneza), e todas as peças têm uma coisa em comum: design “irônico”, como diz a própria Fosca Urbani. “Um óculos não pode ser apenas um óculos, deve ser uma peça divertida, atraente e excepcional”. Eis o que o visitante encontrará na Urbani. E tenha certeza que será magnificamente bem atendido pelos Urbanis, verdadeiros venezianos, que como bons italianos, são ótimos contadores de história e bons galanteadores. As peças são produzidas em pequena escala, os desenhos são exclusivos e não há outros pontos de venda que não sejam na loja física ou no e-commerce da marca. O endereço ideal para quem busca exclusividade, bons preços e modelos excêntricos.

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Urbani “Gondola”

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Urbani “Dubbio”

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Urbani “Thought” & “Pets”

 

Ottica Mantovani

A Mantovani inaugurou em 1871 e permanece até hoje no mesmo endereço. Ainda é uma ótica familiar, com produção em Belluno. A designer é a Senhora Carlon (filha do Sr. Carlon, que comprou a ótica nos anos 40). Dentre a clientela estão Peggy Guggenheim nos anos 50 e, mais recentemente, Elton John (amante de Veneza e dos óculos). A predileção da Sra Carlon são os clientes com personalidade e audácia, aptos a provar suas criação assimétricas e brincalhonas. Quem for à loja com tempo poderá visitar o pequeno ‘museu’ nos fundos, onde está um acervo invejável com peças raríssimas que datam do início do século 20.

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Mantovani “Bridge”

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Mantovani “Alan”

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Mantovani “Elena”

Ottica Carraro

A Carraro é mais moderna e menos exclusiva que as outras óticas venezianas. A marca própria é menos expressiva do que os modelos comerciais que a loja vende. Mas, vale ressaltar que o acetato fosco, que ao olho parece emborrachado, é deslumbrante. São poucos modelos e as coleções não são atualizadas anualmente, mas como todos os modelos “fatto a mano” em Belluno, a qualidade é indiscutível. A Carraro é uma boa dica para homens e mulheres com gostos clássicos, amantes dos modelos redondos e de estampas tartaruga.

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Carraro “Venice 1”

As melhoras óticas de Veneza

Ottica Carraro “Venice 2”

 

Micromega

Imagine entrar no laboratório de um cientista maluco, aquele personagem verdadeiramente clichê, com um óculos transparente high tech, gadgets, e tudo clean ao seu redor. Esta é a sensação que se tem ao entrar na Micromega, uma ótica uber high tech a poucos passos do Campo de San Stefano. É quase incongruente um lugar tão tecnológico em uma cidade tão antiga. A Micromega é destino para quem quer gastar (muito) para ter uma peça exclusivérrima, e ao mesmo tempo tem personalidade de sobra para bancar modelos que se aproximam mais de protótipos do que peças comerciais. A expertise está na produção de modelos em titânio, chifre de búfalo e bamboo. Mas, a graça não está, digamos, no design das armações. A Micromega trabalha as lentes. Ou seja, cada par de lentes é desenhada e recortada a laser formando desenhos delicados de folhas, formas assimétricas, ou contornos geométricos. As peças são muito leves e extremamente delicadas. São muito interessantes (do ponto de vista da fabricação) mas nem sempre lisonjeiros.

As melhoras óticas de Veneza

PB 20_ Plexiglass

As melhoras óticas de Veneza

Linha ótica_Interchangeable rings

As melhoras óticas de Veneza

Sun & Moon

Se eu estivesse a caminho do Burning Man…

Entre os dias 30 de agosto e 7 de setembro a cidade de Black Rock, no deserto de Nevada, FERVE. E não é só de calor. A cidade é tomada pelo épico e mítico festival cultural que tem em seu cerne a auto expressão, arte, criatividade sem limites e descobertas pessoais .

Mais de 65 mil pessoas se encontram no Burning Man para proclamar e explorar a liberdade e o amor, em suas mais diversas formas. Um pouco Woodstock? Maybe. Mas com muita tecnologia, em um cenário lunar, digamos que no cruzamento entre Mad Max e Alice no País das Maravilhas, com um toque de Priscilla a Rainha do Deserto.

O palco (pois Black Rock vira uma Babel, onde todos querem ver e ser fotografados) abriga os dançarinos New-Age, os hedonistas, os idealistas, os hippies, os junkies e, sim, os fashionistas.

Junte suas plumas, suas camurças, seus couros e se prepare para muito topless. Tudo pode e todos são bem vindos neste cenário que procria e exala inspiração e trocas de todos os tipos.  Neste universo lúdico, sem referências, modismos ou julgamento, nada mais propício que explorar óculos cuja ousadia está traduzida no design.

Separamos algumas peças verdadeiramente magníficas para qualquer ocasião. Mas, sabendo que nem todos têm (ainda) coragem de desfilar estes pares por ruas pacatas e asfaltadas, nada mais propício que fazer um ‘test-drive’ no Burning Man.

“I’m not a virgin anymore!”–yelled by one of our camp-mates as she makes playa angels on the ground once we’re finally let in.

Em busca do óculos perfeito em NYC

Amantes de armações bem-vindos a  Nova York!

Nesta cidade elegante (sou suspeita para falar porque sou enlouquecida pelas luzes, promessas e barulhos de Manhattan), e em constante movimento, você encontrará uma seleção de lojas com modelos espetaculares  que vão destacar tudo que você tiver de melhor. Vá com calma, desfile, aproveite, desfrute das armações. A primeira impressão é a que fica, e o que vai sobre seu nariz é seu cartão de visita…por tanto, invista nas armações!

Surreal

Oleg Rabinovich, dono da loja, (sorte sua se conseguir ser atendido por ele), se considera um consultor muito mais que um vendedor. E a Surreal é um espaço curatorial, vitrine para modelos únicos, designers independentes e modelos vintage. Dentre o portfolio estão Kuboraum, Dzimtry Samal, FACE a FACE, Theo e Anne et Valentine. A Surreal lançou recentemente uma linha própria, interessante (não tão fabulosa quanto as demais peças em exposição).

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Yelp

 

 

Selima Optique

Selima Salaun é uma mulher elegante e sensível. Aquelas que ficam sentadas em um canto e te observam, por longos momentos antes de abrir a boca. Ela acredita que os óculos devem ser um reflexo da personalidade, e por isto ela leva muito a sério o momento da escolha. Ela e seu time sentam, conversam, e buscam entender o perfil dos clientes antes de sugerir peças com base nas regras de formatos de rosto, tom de pele, etc etc. Os modelos da linha Selima Optiqe são a prata da casa.

 

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Cortesia da Selima Optique

 

Fabulously Fanny’s

Fanny’s é um parque de diversões. A loja traz uma seleção incrível de peças vintage que datam (algumas) do século 18 e passeiam pela história até chegarmos às peças avant garde. Os óculos não estão expostos como tradicionalmente esperamos, ao contrário dos armários de vidro e prateleiras intocáveis, os óculos moram em armários e gavetas devidamente identificados. Os clientes devem se sentir em casa. São estimulados a sentar e buscar os óculos com calma, fuçando os arquivos, experimentando, enquanto conversam com os funcionários da loja. Vá à Fabulously Fanny’s, mas vá com bastante tempo, vai valer a pena.

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Cortesia da Fabulously Fanny’s

Moscot

Moscot é um ícone de Manhattan. A marca e loja são parte da história da ilha, cujas raízes datam de 1899. Hoje são três lojas em Manhattan e uma linha ótica que conta com best-sellers como The Moscot Originals, Moscot Spirit, e Moscot sun Collections vendidos em lojas ao redor do mundo. O modelo dobrável Moscot Lemtosh virou clássico dentre os hipsters.

 

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Divulgação

 

Facial Index

Ode ao desenho avant-garde. Neste espaço clean, zen, e contemporâneo, que muito se assemelha a um loft está uma joia japonesa em plena Manhattan. A loja traz marcas japonesas todas com design simples (à primeira vista), mas com a tecnologia e caimento dignos do país do sol nascente. Destaque para os acetatos coloridos da marca Spivvy, e os modelos tartaruga esculpidos à mão da Taihachiroh-Kinsei. Os modelos são produzidos em poucas quantidades então a chance de encontrar outro passeando por aí é quase nula.

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Divulgação

 

Morgenthal Frederics

A Morgenthal é uma loja bem nova iorquina. Sempre que entro aqui me sinto de fato em Manhattan. Os atendentes têm fichas com os dados dos clientes e detalhes de suas compras recentes (sofisticado, coisa que não vemos mais por aí). A seleção é muito bem feita, e muitos designers fazem peças exclusivamente para a Morgenthals. O que mais gosto nesta loja é a linha de óculos de chifre de búfalo esculpidos e tingidos à mão. Elegantérrimos.

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Studio Viz

 

Cutler and Gross

O segredo mais bem guardado de Manhattan. Imagine entrar no closet de um #Specsaddict. Sonho, né? A loja do Soho da Cutler é isso. Um closet gigante, com prateleiras que vão até o teto, forradas com óculos, todos separados por cor. A vitrine que dá para a rua não faz jus à grandeza e à delicia que são entrar nesta loja. Aqui estão todos os modelos da Cutler em circulação. Os vendedores são maravilhosos, pacientes, e muito bem treinados na arte de escolher um óculos que seja perfeito para o cliente, e não para bater meta. A pérola da loja fica atrás do caixa. Um museu com os designs dos anos 60 até meados dos anos 90, que não são mais fabricados. Pasme, todos a venda.

Em busca do óculos perfeito...

Foto: Oleg March

 


Já assistiu?