Alain Mikli Archives | By The Eyewear
Alexandre Vauthier x Alain Mikli

Alexandre Vauthier transformou o Grand Palais em um clube de discoteca retro-futurista para mostrar sua coleção de alta costura SS18.

Ontem à noite, o icônico Grand Palais foi transformado em uma discoteca à lá anos 80, com luzes de neon e modelos vestidas com ombreiras exageradas, uso excessivo de tecidos formando drapeados, decotes, tules e couro. Mas a cereja do bolo ficou a cargo dos acessórios. Chapéus militares, botas de couro, broches dourados e os óculos! Que óculos mais maravilhosos criados a quatro mãos com o mago Alain Mikli.

Alexandre Vauthier Couture Spring 2018

Pausa rápida para uma pequena contextualização. O designer de óculos Alain Mikli é um dos mais importantes da sua geração; muitos podem argumentar que ele é o responsável por transformar os óculos em objeto sexy e em um real acessório de moda. Desde o lançamento da marca homônima em 1978, Mikli é conhecido por criar campanhas provocativas, criar peças que marcaram época e foi quem “vestiu” o rosto da musa Grace Jones durante as décadas de 80 e 90. Mais recentemente ele colaborou com Jeremy Scott na criação de óculos coloridas que revisitam seu icônico óculos de sol assimétrico dos 80s, que estampou editoriais nos rostos de famosos como Dave Bowie.

Dito isto, na noite passada, o mundo conheceu esta colaboração nova e extremamente interessante. Os óculos são inspirados no próprio desfile de Vauthier e no trabalho de fotógrafos de moda como Helmut Newton e Guy Bourdin. Para esta coleção foram criados três modelos que visitam nitidamente os arquivos dos anos 80 de Mikli: Edwidge, Edwidge jewelled, Roselyne e Nadége.

Edwidge e Edwidge jeweled são o modelo ‘porta-voz’ do conceito da colaboração: uma mulher francesa moderna com ar retro e muita, muita força. Este design retangular bem raso e as lentes super escuras são emblemáticas deste mood undergroud. Roselyn, também inspirada pelo arquivo de Mikli, é um óculos ultra-feminino oversized adornado com cristais. Nadége é futurista, industrial e limpo com uso excessivo de metal e de conceitos militares, super presentes na passarela de Vaulthier.

A campanha de lançamento da colaboração dos óculos foi fotografada pela dupla Mert & Marcus e traz a divina maravilhosa Kate Moss como musa. A coleção estará disponível a partir de abril de 2018.

“As mulheres que usam minhas coleções em todo o mundo são sensuais e poderosas e essa colaboração com Alain Mikli foi feita para essas mulheres ousadas e inspiradoras”.

Sabe identificar um óculos tartaruga?

Sabia que um óculos tartaruga não é só um óculos tartaruga? Sabia que algumas marcas têm chapas exclusivas de tartaruga? E sabia também que tartaruga jamais sairá de moda?

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Qual o melhor óculos para você?

Você que vive buscando os óculos perfeitos e mesmo assim não cansa de dizer que não achou nada bonito, confortável, acessível…nada que fosse perfeito. Vamos resolver isto, já! PLAY

Este slideshow necessita de JavaScript.

Saturação, frescor, despojamento: Colorblocking

Muitos associam esta tendência a movimentos dos anos 60 e 80. E de fato, dado que a moda é absolutamente cíclica, tudo que vai…volta!

Pessoalmente não sou fiel seguidora de tendências. Acredito muito mais em mood e estado de espírito do que regras pré-fixadas… existe talvez um quê de anarquismo nisto (mas bem levinho). Pensando no verão, na diversão que é montar editoriais, e olhando para o meu acervo fiz deste Look and Feel uma coisa super pessoal: My take on colorblocking.

O intuito é chamar atenção a duas perguntas corriqueiras: Será que óculos colorido combina com minha vida, e existem regras para combinar óculos e roupas? Sim e não.

Os óculos combinam com você e ponto. Não se apegue à cor da armação. Se e quando você estiver confortável com seus óculos, a roupa vai dialogar com eles, e não o contrário. Trust me!

A moda às vezes tenta nos ensinar a balancear as cores e acaba engessando a criatividade. E se tivéssemos liberdade criativa para traduzir nosso humor nas paletas escolhidas? O resultado seria uma paleta de vermelho cereja,  verde esmeralda, azul turquesa e pessoas que não ligam para padrões.

O ensaio a seguir parte do pressuposto que cores são cores, e juntas servem para iluminar a peça chave: os óculos. Deixe de lado o medo de ousar, jogue fora aquela ideia de que óculos é aparelho fixo, por favor não ache que óculos tem que ser chatos, e não venha me dizer que você não tem coragem de sair na rua assim. Já tentou??? Pois bem…

Detalhes

Olhar: Tatiana Viana

Imaginação: Chantal Goldfinger

Composição: Rodrigo Caldas

Contraste: Tin Tin

 


Já assistiu?
This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.

Tem mais