Anna Karin-Karlsson Archives | By The Eyewear
10 Designers mulheres para seguir já

Sendo uma mulher, uma usuária orgulhosa de óculos e uma pessoa que acredita que todo o design deve ser um reflexo das intenções dos designers, eu não poderia deixar este mês passar sem celebrar 10 designers incríveis que eu tive o prazer de conhecer. Lembre-se que o mundo dos óculos está cheio de mulher extraordinárias, todas com vozes diferentes, conceitos interessantes e convicções firmes. Estes são apenas alguns nomes que você deve conhecer e ficar de olho.

 Caroline Abram – Caroline Abram Paris

Caroline é a personificação perfeita do “estilo mulher francesa”. Ela é elegante, delicada e muito forte, bem como seus desenhos. Uma optometrista que virou designer, ela é obcecada por detalhes e cores. Seus óculos são feitos para todas as mulheres que quiserem se sentir fabulosas e quiserem vestir sua própria confiança. Seus desenhos começam com o formato das sobrancelhas da mulher e então ela desenha o resto do shape. Dito isto, o fit é absolutamente incrível, cada um de seus óculos parece que foram feitos apenas para você. O uso de cores faz com que você deseje combinar cada óculos com uma paleta de maquiagem diferente e uma bolsa mais extravagante. Sem mencionar que seus desenhos tornam óbvio que todas as mulheres podem e devem explorar a maquiagem por detrás desses óculos que são acessórios e não são de modo algum uma máscara para se esconder.

 

 

Gai Gherardi & Barbara McReynolds – l.a.Eyeworks

l.a.Eyeworks faz parte da história dos óculos. A marca é a visão de duas mulheres extremamente inspiradoras: Barbara McReynolds e Gai Gherardi. “Nós projetamos óculos para celebrar a diversidade dos rostos e a singularidade dos indivíduos. Os óculos que fazemos são faíscas da nossa imaginação. Você completa esses pensamentos e traz os sonhos de l.a.Eyeworks”. Desde o final dos anos 70, eles desafiam o mercado de óculos, as normas e tornam cada vez mais claro que “Um rosto é como uma obra de arte. Isso merece uma excelente armação. “E armações com A são o que eles entregam. Explorar diferentes formas e brincar com cores divertidas e combinações únicas de acetato são sua maior especialidade. Essas mulheres não conhecem nenhum limite para sua imaginação.

 

Marion Frost – Frost Eyewear

Marion tem esta personalidade enorme e amorosa. Excêntrica de sua maneira fabulosa. Ela vive completamente absorvida em detalhes, e é atenção aos detalhes que é uma principais características de suas criações. Ela é uma contadora de histórias e uma pessoa que acredita na beleza das narrativas. Seus projetos começam com histórias de sua infância e outras que ela ouviu ao longo do caminho. Estes podem ser tão simples como uma senhora que vive na floresta, tão intrincadas como o movimento de moléculas ou um conto inspiracional no qual um shape específico te ajuda a clarear o pensamento. E as histórias são contadas em óculos fascinantes e muito incomuns que muitas vezes misturam composições de cores únicas. Ela faz questão de mostrar que seus óculos têm o poder de transformar quem os usa. Marion brilha, seus olhos contam histórias e ela dominou o conceito de traduzir essa adorável imaginação dela para seus consumidores. Ela realmente acredita no poder de transformador de um bom óculos.

 

Anna-Karin Karlsson

Anna é a figura feminina forte que está em todos nós (mas nem todas temos a coragem de mostrar). Assim com sua personalidade, seus óculos são ousados, cheios de detalhes e absurdamente complexos. Sua vontade principal em projetar óculos é levar beleza ao mundo. Ela quer que suas consumidoras sejam suas porta-vozes vestidas com essa armadura espetacular incrustrada com cristais, metais e pedras preciosas. Anna é obcecada por contos de fadas e todas as suas coleções começam neste maravilhoso mundo de fantasia e são então traduzidas para seus óculos. Cada par é uma jornada maravilhosa através de mundos fantásticos com a mesma mulher extremamente impressionante e maravilhosa no banco do motorista. Seus óculos destinam-se a fazer as mulheres se sentirem absolutamente deslumbrantes.

 

Ahlem Manai-Platt- Ahlem Eyewear

Ahlem é Paris. Seus óculos representam a verdadeiro Paris, criada pela história, o caos, a diversão e a singularidade que fazem de Paris esta cidade única. Cada óculos tem o nome de um bairro parisiense e as principais características da área são traduzidas para os óculos. A principal inspiração para cada “família” vem da arquitetura e das ruas que tornam cada vizinhança única. Esta não é uma marca orientada pela moda, é uma marca de amor criada por uma verdadeira parisiense. Os óculos de Ahlem não gritam por atenção, pelo contrário, são desenhos cheios de personalidade, mas que não é um “show stopper”, mas um “potenciador de personalidade”. Ahlem acredita que os óculos que alguém usa são um sinal claro de sua personalidade, algo tão ligado a quem ele realmente é que é quase impossível mentir, ou se esconder atrás de uma armção.

 

Fa Empel – Pawaka

Fahrani Empel (Fa ‘) é a mente criativa por trás da marca de óculos Pawaka. Ela é uma figura incrivelmente feroz e complexa: designer, modelo, atriz e ativista ambiental, para citar algumas de suas facetas muito interessantes. Nascida na Indonésia, ela conseguiu trazer seu patrimônio e rico passado cultural ao design que mistura histórias com um quê futurista. PAWAKA é a palavra sânscrita para fogo; e era o codinome de seu avô durante a Segunda Guerra Mundial. Prestando homenagem à terra nativa de Fa, todos os óculos são nomeados na ordem numérica da Língua Bahasa Indonésia. Pawaka é uma jornada através dos elementos, através da cultura e da natureza, trazidos por um globetrotter que domina a cultura pop e tem uma identidade muito firme sobre a qual se ergue. Os óculos da Pawaka têm uma discreta rigidez que os torna tão interessantes quanto nossa protagonista. Leva algum tempo para deixar o design penetrar, e você precisa de calma para apreciar as formas contrastantes e as bordas agudas.

Sabine Bégault-Vagner – Sabine Be

Sabine é uma daquelas pessoas com uma luz própria e uma jovialidade deliciosa. Esta leveza e diversão que ela carrega consigo são a base de todo seu design. Criar óculos é um sonho de infância que só foi realizado mais tarde em sua vida, mas vemos claramente a paixão que transborda em cada coleção. Todos os seus desenhos, seja para homens, mulheres ou crianças, têm a mesma vibração. A ideia de diversão e jogos começa com o círculo e o quadrado que compõe seu logotipo, depois são traduzidos para as ponteiras e para o frontal dos óculos. Tudo é leve, alegre e despreocupado. Sua missão de marca deveria estar em todos nós, e apesar de muito forte e muito clara, é contrabalançada por desenhos leves e bem humorados. De acordo com Sabine: be as in to be. be as in to exist. Passionately be. Simply Be.

 

 

Nadine Dalal- Delalle

Delalle encarna a jornada de Nadine e a realização de um sonho, que a levou de Beirute a Londres e muito além, para criar uma marca de luxo autêntica e, acima de tudo, única. Os desenhos de Nadine são um reflexo de seus sonhos e sua imaginação que viaja em todo o mundo e durante todas as décadas, mas sempre é guiada por um sentimento de saber quem você é e o que te faz feliz. Cada par destes óculos de luxo apresenta um toque distintivo, produzido por uma fusão contínua da inspiração e da cultura contemporânea, materializando-se em um produto de alta qualidade que é ao mesmo tempo distinto e moderno. “Delalle foi imaginado para pessoas que como eu gostam de peças imensas, não têm medo de se expressar e gostam de estimular a imaginação. Essencialmente, cada coleção vem como uma edição limitada. Sem dúvida, o design de óculos abriu portas para executar e retratar minha criatividade e paixão pelo design “.

Erida Schaefer – La Frida

Erida é um artista, não só isso, mas como eu, ela é brasileira. O design de óculos ainda é algo raro em nosso país, então, conhecendo-a, me encheu de alegria. Ela sempre trabalhou com cores e materiais. Mas apenas recentemente ela descobriu nos óculos o suporte perfeito para sua linguagem notável. Muito parecido com sua personalidade ousada, seus projetos são chamativos, divertidos e espirituosos. Ela projeta óculos que chamam a atenção para o usuário e suas criações são a cereja em qualquer bolo: criativos, cativantes e verdadeiramente únicos. Uma vez ela me contou que começou a pintar seus óculos de sol vintage porque ela estava entediada com a paleta monótona que via nas ruas e não conseguia entender por que as pessoas se escondiam atrás de óculos escuros sem graça quando deveriam ser elas mesmas. Ela então assumiu o trabalho de mostrar às mulheres como os óculos divertidos e personalizados podem ser importantes na hora de criar um look. Sorte nossa que ela trocou as telas pelas armações.

Marie Wilkinson- Cutler and Gross

Graham Cutler e Tony Gross trouxeram Marie Wilkinson a bordo por causa de seu “bom gosto e senso inato de estilo”. Marie é diretora criativa da marca londrina Cutler e Gross há mais de 30 anos. Ela é uma mulher excepcional, com domínio técnico completo e um olhar para a sofisticação. Ela entende que uma escolha ousada de óculos indica uma certa confiança interior e, assim, cria óculos para ajudar as pessoas das mais diferentes personalidades a contar suas histórias.

 

 

 

Óculos para festas

Fiel leitora, ótimas novidades: me juntei ao time de colaboradoras do Steal The Look. Nada mais justo que responder às dúvidas mais fashion no quesito specs aqui e na plataforma mais cool do planeta, né?

Coluna de estreia: Party Trend. Ir ou não ir de óculos?!?!? Se você quiser continuar sendo minha amiga sugiro que a resposta seja IR, if not, ‘Houston we have a problem’. Este tema já foi debatido aqui no passado. Mas, com os Golden Globes em Janeiro e os Grammys há alguns dias a discussão sobre usar óculos em ocasiões ditas formais é latente e ainda bem, inevitável.

Como fanática por óculos que sou, o fato da Oprah ter vencido o Cecil B DeMille Award neste mês, com nada menos do que um par de óculos sublimes, todo cravejado de cristais, me fez dar pulos de alegria! A belezura em questão é da marca Veneziana Sosipri – em referência à Ponte dos Suspiros. Que alívio ver que, lentamente, há espaço para mudanças em um mundo no qual mulheres que usam óculos são cercadas por rótulos.

Oprah Winfrey

Oprah Winfrey

Vejam só, nas últimas premiações hollywoodianas de peso, a quantidade de mulheres de óculos sempre foi mínima. A desculpa ocasional é: vai estragar o look ou não vai combinar com a cascata de joias dos patrocinadores. Existe uma falsa noção de estética que atinge as mulheres que usam óculos e muitas vezes o acessório é deixado de lado e precisamos sofrer com os problemas de visão apenas por uma questão visual absolutamente imposta.

Se olharmos para trás são sempre as mesmas mulheres que aparecem no tapete vermelho de óculos: Meryl Streep, Diane Keaton e a própria Oprah. Todas, interessantemente, com mais de 60 anos, aí pode né? Elas podem, mas as Lupitas Nyong’os podem, as Patricias Arquettess podem, as Rashidas Jones podem e todas as mulheres que, de fato, usam óculos e quiserem levá-los às galas ou outras festas podem e devem.

Existem milhões de marcas super bacanas que foram pensadas unicamente para galas. A nova-iorquina A-Morir só faz peças com Swarovskis por exemplo. A própria Swarovski tem uma linha de gala, o mesmo vale para Tiffany e a sueca Anna Karin Karlsson. Até mesmo a Gucci tem levado peças esculturais para a passarela mostrando que os óculos podem sim ser o acessório mais sexy de todos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Óculos para você brilhar

Você nasceu para brilhar. Não importa o que dizem, não importa se sua auto estima oscila, não importa seu cabelo e menos ainda o lugar para onde estiver indo. Brilhe, o caminho todo.

Caso você precise de ajuda para enaltecer sua luz interna (que já é bem forte, tenho certeza), a moda está aqui para te ajudar. Os brilhos, os excessos e os strass estão fazendo um come back bem elegante. A Gucci, por exemplo, extrapolou no tamanho e na quantidade de pedras nos seus óculos apresentados na última coleção, deixando claro que o look das 9 às 5 merece um up. E que up, hein?

Diversas marcas, como a Jimmy Choo, apostaram no glitter, outras como a Miu Miu, em pedras coloridas e algumas simplesmente não seguem regras e querem mais é chamar atenção, como é o caso da sempre ousada e mega extravagante Anna Karin-Karlsson.

O que ficou claro é que as pedras saíram do look habiée e conquistaram as ruas e a luz do sol. O fato destes óculos extravagantes terem lentes solares deixa claro que não precisamos mais esperar um bale de gala para se ‘emperiquitar’. Vai ao supermercado? Ao salão? Trabalhar? Então merece um belo par de óculos!

Apesar deste movimento diurno ficar evidente, ainda assim precisamos chamar atenção à noite. A dica aqui é escolher em um par de óculos (deste select extravagante) que te atraia e trocar as lentes solares por graduadas. Se vc não tiver grau nenhum e ainda assim quiser entrar para nosso time, então faça um par sem grau mas com proteção UVA/UVA e antireflexo. Os óculos são o acessório mais chamativo de todos e garanto que te farão brilhar, de dia ou à noite.

Selecionamos alguns pares bem interessantes para começar este seu namoro com os brilhos. Não deixe de conferir o vídeo no final desta matéria com dicas maravilhosas para combinar óculos com jóias à noite! Uau!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Perdida em Belluno

Belluno é uma cidade que fica na região do Veneto, a 100km de Veneza. Poderia ser apenas mais uma região pacata da Itália, com uma população pequena, um dialeto próprio, e um cardápio maravilhoso. Mas, esta cidade é de extrema importância para os #SpecsAddicts. Belluno é a capital internacional dos óculos, ou pelo menos foi, antes da entrada da China e da Europa do Leste como players importantes.

Esta pequena cidade ou vilarejo, para quem vem do Brasil, é o cerne da produção de óculos da Itália. Lá são produzidas as peças mais luxuosas e desejadas do mercado. As grandes produtoras (leia-se Luxottica, Safilo, Marchon e Marcolin) tem ao menos uma fábrica na região. Além deles, há dezenas de pequenos produtores que fazem peças para marcas independentes e para aventureiros.

Ingênua, me mandei de Veneza para Belluno de trem, sozinha, com meu celular (porque uma câmera já é transtorno demais) e meu caderninho. Agendei visita em 5 fábricas da região.

Eis que chego à estação de Belluno, atrasada, óbvio, e descubro que Belluno é a capital da província, mas lá não há absolutamente nada, apenas cafés e um pequeno comércio. Um xaveco depois, e um café café mais tarde com um taxista romeno me renderam um passeio até a Zona Industriale 1. O que na minha cabeça seria Belluno, uma cidade gloriosas, agitada e cheia de pessoas fashion usando óculos e roupas bacanérrimas, nada mais era que uma rua, (UMA RUA) com galpões e fabricas de diversos tamanhos, sem nenhuma placa de identificação! Me senti chegando em um filme do Stephen King, onde todos os cidadãos foram abduzidos e eu sobrei, por algum motivo a ser descoberto nos próximos capítulos.

Sem nada a perder bati na porta de algumas fabricas e consegui três entrevistas (a cidade é tão inóspita e mal sinalizada que nunca encontrei as tal 5 fábricas com quem marquei entrevistas). Os meus interlocutores ficaram arrasados ao perceber, lá pelos 10 minutos de conversa, que eu não ia fazer uma grande compra, só gastar o tempo deles mesmo! Mas, esta minha mania de sair falando me rendeu alguns belos passeios em fábricas de ponta, extremamente eficientes, e histórias maravilhosas do processo de elaboração e design de um óculos, que pode levar meses.

Como se não bastasse toda esta emoção, nosso amigo taxista, sim, ele ficou com pena de mim e resolveu me esperar e me dar uma carona até a estação (fofo), decidiu me deixar em outra cidade, há 15 min de Belluno, certo de que lá o trem passaria antes e me levaria direto para Santa Lucia, Veneza. Foi neste ‘cenário’ que o shooting (sem vergonha alguma) aconteceu! O trem demorou apenas 4h. A cidadezinha, fofa, Belluna, não tinha taxis, farmácias ou cafés. A cidadezinha, leia-se uma rua, com casas fechadas por conta dos 40 graus do verão, sem comércio, e sem pessoas, me deixou sozinha com minha imaginação. Fiquei só do lado de fora da estação, claro, pois as estações só abrem quando o trem passa (afff), com meu celular, um montão de histórias e aventuras na cabeça, e ninguém para contar (cadê você Internet quando eu mais preciso???)!

Lá fui eu me entreter com meu celular e o protagonista da vez: Alice goes do Cannes da Anna Karin-Karlsson.

Se eu estivesse a caminho do Burning Man…

Entre os dias 30 de agosto e 7 de setembro a cidade de Black Rock, no deserto de Nevada, FERVE. E não é só de calor. A cidade é tomada pelo épico e mítico festival cultural que tem em seu cerne a auto expressão, arte, criatividade sem limites e descobertas pessoais .

Mais de 65 mil pessoas se encontram no Burning Man para proclamar e explorar a liberdade e o amor, em suas mais diversas formas. Um pouco Woodstock? Maybe. Mas com muita tecnologia, em um cenário lunar, digamos que no cruzamento entre Mad Max e Alice no País das Maravilhas, com um toque de Priscilla a Rainha do Deserto.

O palco (pois Black Rock vira uma Babel, onde todos querem ver e ser fotografados) abriga os dançarinos New-Age, os hedonistas, os idealistas, os hippies, os junkies e, sim, os fashionistas.

Junte suas plumas, suas camurças, seus couros e se prepare para muito topless. Tudo pode e todos são bem vindos neste cenário que procria e exala inspiração e trocas de todos os tipos.  Neste universo lúdico, sem referências, modismos ou julgamento, nada mais propício que explorar óculos cuja ousadia está traduzida no design.

Separamos algumas peças verdadeiramente magníficas para qualquer ocasião. Mas, sabendo que nem todos têm (ainda) coragem de desfilar estes pares por ruas pacatas e asfaltadas, nada mais propício que fazer um ‘test-drive’ no Burning Man.

“I’m not a virgin anymore!”–yelled by one of our camp-mates as she makes playa angels on the ground once we’re finally let in.

Eu vejo flores

Chegou a primavera! E sabe o que virá de monte? Flores e cores.

Cores, perfumes, leveza e a promessa de um verão delicioso. As passarelas já anunciaram as tendências primavera/verão 2016. Estampas, texturas, artsy, retrô… numa boa… um pot-pourri, porque moda é isto aí, uma mistura e reciclagem constantes.

Óculos enquanto acessório vem acompanhando estas estações, conforme as coleções. Mas por ser um item tão especial, tão desejado e tão marcante, os próprios designers (salvo, claro, as marcas que existem enquanto labels de roupa), se permitem mais flexibilidade criativa e narrativa.

Fracamente acredito em mudanças, e variedade, mas moda enquanto tendência.. não sei não… óculos não sai de moda nunca. Diquinha… não jogue seus modelos ‘antigos’ fora e corra já para a gaveta da vovó e pegue tudo que ela usava quando moçoila!

Inegavelmente a primavera chegou e #flores estão em alta. Separamos os óculos de sol mais divertidos que traduzem este clima delicioso, feminino e casual.


Já assistiu?
Tem mais