Fakoshima Archives | By The Eyewear
Efeito Borboleta

A internet se ajoelhou nesta semana diante do lançamento do filme fashion da Miu Miu com Kaia Gerber, filha do ícone da moda dos anos 90, Cindy Crawford.

Kaia é protagonista do vídeo de lançamento da campanha de óculos Scenique, da Miu Miu. A campanha, faz jus ao título e explora aquela sensação lânguida de ficar na piscina, aproveitando um dolce far niente, como em um quadro de David Hockney.

As peças desta coleção flertam com um design retrô e tem na figura da borboleta, seu centro. Os óculos e o mood da campanha trazem à tona dois contrastes muito presentes na mulher Miu Miu: brincalhona e feminina. O design é exuberante e leve ao mesmo tempo. A coleção traz modelos em metal e acetato (mais grossos) e uma coleção ótica bem divertida e caricata.

Ainda neste tema vale relembrarmos de outras marcas que também exploraram e muito bem a questão do efeito borboleta, seja usando apenas sua forma, seja brincando com seu shape quase como uma máscara. A percussora deste ‘trend’ foi Peggy Guggenheim nos anos 50. Confira peças que vão te fazer voar!

EyeRepublic

EyeRepublic é uma revista trimestral publicada na Rússia por Anastásia Blagochevsky, uma verdadeira #SpecsAddict.

A revista é gloriosa, um verdadeiro livro, que trata os óculos como objetos de arte e moda. Na última edição o destaque foi Blake Kuwahara com seus modelos fluidos que buscam inspirações nas formações geológicas dos cânions.

Tive o prazer de bater um papo tête-à-tête com Anastácia. Ela é uma figura linda e escrachada, e absolutamente enlouquecida por óculos, bem como eu. Temos em comum esta paixão e a percepção dos óculos como acessórios de moda e ferramentas para contar histórias.

Divirta-se!

BTE: De onde veio sua paixão por óculos?

AB: Eu fui para neste meio quase que por acaso. Eu trabalhava com vendas, em uma carreira de sucesso. Uma empresa ótica quis me levar aos seu escritório para trabalhar como uma especialista em vendas, e para isto me ofereceram um salário duas vezes maior que o meu, eu fui, sem pensar. Até então era apenas um trabalho, mas tudo mudou quando conheci de perto o Sr. Gros. Foi o Monsieur Thierry Gros, da marca Traction Productions quem mudou minha percepção do mercado. Ele me ensinou a amar cada detalhe dos óculos. Ele cuida da marca dele com o mesmo esmero com que cuida da sua família. Conhece cada fornecedor, memoriza cada design, chama todos pelo nome, pensa e respire design, o tempo todo. Fui seduzida.

BTE: Você foi uma das primeiras pessoas a tratar óculos como objeto de moda, ao invés de dar ênfase puramente à questão de saúde. Em que momento você se deu conta deste shift no Mercado e/ou na percepção do consumidor?

AB: Serio? Não sabia que eu era a única. Eu e você (Chantal) fazemos a mesma coisa. Tratamos de um universo maior que é comportamental, atitudinal. Para mim os óculos e a moda não podem existir separadamente. Os óculos foram inventados para melhorar a visão, mas rapidamente se tornaram acessórios de moda graças a Hollywood, os Beatles, Jacqueline, Kennedy. Mesmo com o avanço da ciência com a invenção das lentes de contato e cirurgias a laser, as armações não perderam seu espaço, pois, têm se tornado acessórios cada vez mais fortes e imponentes. É esta paixão, esta inovação constante, e este desejo, que quero levar aos meus leitores. E fico contente em saber que a aceitação e a popularização do tema tem aumentado rapidamente. Estilistas usam a revista como referência e as pessoas comuns a lêem para se atualizar.

BTE: Quais marcas estão no seu radar, dentre as mais cool e inovadoras?

AB: Eu não faço distinção por valor. Compro apenas óculos cujo design me atrai. Nós russos só conseguimos trabalhar com amor e por amor. Alguns designers roubaram meu coração: Thierry Lasry, Blake Kuwahara, Caroline Abram, Jean-Philippe Joly, Patrick Hoet, Lucas de Stael, Fakoshima. Não posso deixar de citar a russa Rusomania, da qual além de fã, sou uma das donas (publi! Rs)

BTE: Quem você considera influencer na cena ótica?

AB: Somos uma imensa família ótica. É impossível trabalhar com óculos e ficar indiferente. Quase todo mundo que conheço neste negócio é obcecado pelo mercado e dedica toda sua energia e sua vida ao negócio. Talvez sejamos loucos, mas acho que é esta nossa missão. Quero agradecer a todos meus colegas mundo a fora por partilhar deste amor e deste universo.

#JoinTheClub

Se eu estivesse a caminho do Burning Man…

Entre os dias 30 de agosto e 7 de setembro a cidade de Black Rock, no deserto de Nevada, FERVE. E não é só de calor. A cidade é tomada pelo épico e mítico festival cultural que tem em seu cerne a auto expressão, arte, criatividade sem limites e descobertas pessoais .

Mais de 65 mil pessoas se encontram no Burning Man para proclamar e explorar a liberdade e o amor, em suas mais diversas formas. Um pouco Woodstock? Maybe. Mas com muita tecnologia, em um cenário lunar, digamos que no cruzamento entre Mad Max e Alice no País das Maravilhas, com um toque de Priscilla a Rainha do Deserto.

O palco (pois Black Rock vira uma Babel, onde todos querem ver e ser fotografados) abriga os dançarinos New-Age, os hedonistas, os idealistas, os hippies, os junkies e, sim, os fashionistas.

Junte suas plumas, suas camurças, seus couros e se prepare para muito topless. Tudo pode e todos são bem vindos neste cenário que procria e exala inspiração e trocas de todos os tipos.  Neste universo lúdico, sem referências, modismos ou julgamento, nada mais propício que explorar óculos cuja ousadia está traduzida no design.

Separamos algumas peças verdadeiramente magníficas para qualquer ocasião. Mas, sabendo que nem todos têm (ainda) coragem de desfilar estes pares por ruas pacatas e asfaltadas, nada mais propício que fazer um ‘test-drive’ no Burning Man.

“I’m not a virgin anymore!”–yelled by one of our camp-mates as she makes playa angels on the ground once we’re finally let in.


Já assistiu?
Tem mais