haute couture Archives | By The Eyewear
Alexandre Vauthier x Alain Mikli

Alexandre Vauthier transformou o Grand Palais em um clube de discoteca retro-futurista para mostrar sua coleção de alta costura SS18.

Ontem à noite, o icônico Grand Palais foi transformado em uma discoteca à lá anos 80, com luzes de neon e modelos vestidas com ombreiras exageradas, uso excessivo de tecidos formando drapeados, decotes, tules e couro. Mas a cereja do bolo ficou a cargo dos acessórios. Chapéus militares, botas de couro, broches dourados e os óculos! Que óculos mais maravilhosos criados a quatro mãos com o mago Alain Mikli.

Alexandre Vauthier Couture Spring 2018

Pausa rápida para uma pequena contextualização. O designer de óculos Alain Mikli é um dos mais importantes da sua geração; muitos podem argumentar que ele é o responsável por transformar os óculos em objeto sexy e em um real acessório de moda. Desde o lançamento da marca homônima em 1978, Mikli é conhecido por criar campanhas provocativas, criar peças que marcaram época e foi quem “vestiu” o rosto da musa Grace Jones durante as décadas de 80 e 90. Mais recentemente ele colaborou com Jeremy Scott na criação de óculos coloridas que revisitam seu icônico óculos de sol assimétrico dos 80s, que estampou editoriais nos rostos de famosos como Dave Bowie.

Dito isto, na noite passada, o mundo conheceu esta colaboração nova e extremamente interessante. Os óculos são inspirados no próprio desfile de Vauthier e no trabalho de fotógrafos de moda como Helmut Newton e Guy Bourdin. Para esta coleção foram criados três modelos que visitam nitidamente os arquivos dos anos 80 de Mikli: Edwidge, Edwidge jewelled, Roselyne e Nadége.

Edwidge e Edwidge jeweled são o modelo ‘porta-voz’ do conceito da colaboração: uma mulher francesa moderna com ar retro e muita, muita força. Este design retangular bem raso e as lentes super escuras são emblemáticas deste mood undergroud. Roselyn, também inspirada pelo arquivo de Mikli, é um óculos ultra-feminino oversized adornado com cristais. Nadége é futurista, industrial e limpo com uso excessivo de metal e de conceitos militares, super presentes na passarela de Vaulthier.

A campanha de lançamento da colaboração dos óculos foi fotografada pela dupla Mert & Marcus e traz a divina maravilhosa Kate Moss como musa. A coleção estará disponível a partir de abril de 2018.

“As mulheres que usam minhas coleções em todo o mundo são sensuais e poderosas e essa colaboração com Alain Mikli foi feita para essas mulheres ousadas e inspiradoras”.

Dior Haute Couture 2018

“O que é importante, quando começamos, não é necessariamente entender, mas amar”

A declaração de Jean Cocoteau tatuada na clavícula de uma modelo abriu a ode de Maria Grazia Chiuri ao surrealismo no desfile de alta costura da Dior, que visava tecer o movimento artístico maravilhosamente estranho do século XX em arte usável de alta qualidade.

Dior Haute Couture, Paris Fashion Week 2018, mask

Um show no qual a elegante plateia foi convidada a participar de um delicado passeio de transparências, véus, nudez sexy e um jogo de chiaroscuro, evidenciado pelo uso excessivo de tecidos em preto e branco. Um lindo show mascarado regido a trompe l’oeils. Este mesmo diálogo foi usado para criar máscaras requintadas e elegantes feitas de camadas de tule estruturado que recortavam os olhos extremamente gráficos e bem desenhados das modelos. Como bonecas com olhos imensos, as modelos desfilaram a excessiva feminidade Dior. Essas máscaras, ou como eu as chamo, “molduras oculares” foram criadas em colaboração com o britânico Stephen Jones em homenagem ao Baile de Máscaras que a Dior ofereceu à noite aos seus clientes.

“Porque a alta costura é um sonho de moda “, afirmou a designer em suas anotações que acompanharam o desfile, “é um lugar onde não há limites para empurrar fronteiras e experimentar com técnica, material e forma”.

 

Givenchy eyewear 2016

Haute couture lovers, preparem seus corações e suas carteiras! A coleção SS2016 de óculos da Givenchy chegará às lojas em janeiro de 2016. A grade trará óculos de sol e de grau! Yeah!

Ricardo Tisci não nos decepcionou, claro. São 4 modelos distintos: “Rave” – jovem, urbano, audacioso, um namoro entre o street style e o esporte cool; “Style” – avant-garde com forte influências arquitetônicas; “Icons” – uma releitura das armações da maison com um frescor digno de 2016 e do olhar de Tisci; “Star” – atemporal com um detalhe sofisticado em forma de estrela na lateral.

As peças trabalham o mesmo DNA seco, forte e sofisticado presente nas passarelas. Traços firmes, atenção aos detalhes, cores fechadas e nada de estampas ou delicadezas. As peças são todas unissex.

Só de bater o olho já me derreti pelo “Staple”. Sofisticado, cor de tabaco, arredondado sem ser Le Corbusier. Uma peça icônica.

Lethicia Bronstein

Lethicia Bronstein entende como poucas o desejo, as curvas e a personalidade de uma mulher forte e feminina. Não é à toa que suas roupas desfilam o mundo nos corpos de mulheres icônicas. Suas criações têm como marca registrada o trabalho com laços, pérolas, patchwork e rendas sofisticadíssimas.

Viciada em moda estilista também curte, e muito, os óculos de sol! A cada viagem volta com um novo par. Não é adepta a padrões ou modismos: bateu o olho, gostou, serviu, levou! Fomos ao seu ateliê, um espaço que traduz toda esta aura da estilista para ver de perto sua coleção.

Para quem ainda não sabe, Lethicia acabou de apresentar sua coleção: Lethicia para Riachuelo, onde fast fashion e a pegada romântica-haute-couture se encontram. O resultado é deslumbrante!

A brasileira exala sensualidade, tem volume. Mas acredito que consigo deixá-la exuberante sem ser cafona ou vulgar. É este o desafio que busco


Já assistiu?
Tem mais