Lool Archives | By The Eyewear
Óculos metálicos

O minimalismo voltou?

Pensei bastante antes de escrever este texto. Eu sou favorável ao “mais é mais” e, no entanto, não posso negar que os óculos de metal estão fazendo um retorno ENORME e estão ganhando um espaço bem merecido entre nós amantes dos óculos.

O cenário atual no mundo dos specs é de metal minimal e sem gênero. A nostalgia reina neste meio onde o metal é o novo passe-partout do estilo contemporâneo. O metal é limpo, sofisticado, serve de dia e à noite e é para muitos designers, ‘genderless’. Quão contemporâneo é este debate, hein? O que está em jogo é a forma, seja ela linear, redonda, geométrica ou angular. As cores principais desta temporada são preto, ouro e prata, se for em metal precioso, melhor ainda.

O metal tem uma qualidade interessante porque esconde muito pouco do seu rosto e permite que você faça seu próprio estilo ao redor da armação. O metal é neutro, o metal é duradouro. Dito isto, um grande número de marcas incluíram um ou mais shapes de metal em seu mix nesta temporada. Embora o foco aqui sejam os óculos de receituário, os óculos de sol também participaram deste jogo. E, curiosamente, a maioria das formas se encaixa divinamente bem nos rostos de homens e mulheres.

Arquitetura e arte desempenham um papel importante

A marca francesa Face à Face desenhou um par inspirado nos traços do artista Sol Lewitt, considerado o fundador da arte minimalista e conceitual. Um excelente ponto de partida para nós. Outro par foi desenhado e nomeado em homenagem ao movimento De Stijl que ocorreu na Holanda, conhecido pela “universalidade através da redução dos elementos essenciais de forma e cor, simplificando as composições visuais ao mínimo: verticais e horizontais; reduzindo as cores às essenciais: pretas, brancas e primárias”. A marca espanhola Alfred Kerbs inspirou-se no móbile do artista Alexander Calder, um tipo de escultura em movimento feita com formas delicadamente equilibradas em fios metálicos. O modelo AIRPLANE, tem a leveza de um móbile, a liberdade de um avião, e a maestria de um equilibrista. Lool eyewear, uma marca jovem e promissora baseada em Barcelona, inspira-se na própria cidade para criar desenhos em chapas de aço. Seu design da série Tectônica é um grande exemplo de arquitetura em óculos. “Eles são trabalhados à mão, um por um em um processo técnico preciso, combinando o industrial, o manual, o homem e a máquina. As linhas de design refletem a nossa influência principal, o retrofuturismo infundindo desta forma sua personalidade única para todos e cada um de nossos peças.”

Vintage revisitado e reinterpretado

O metal tem sido usado há mais tempo do que o acetato, portanto, a história imortalizou uma série de figuras importantes usando pequenas e redondas armações metálicas. As marcas contemporâneas sabem disso, e reivindicaram esse traço. Os óculos da LGR eyewear são bem conhecidos por trabalhar desenhos vintage em suas formas modernas e contemporâneas, todas nomeadas em homenagem um país africano, de onde a maior parte da inspiração vem. Os óculos Transvaal são um excelente exemplo de um modelo bem ‘old-school’ trazido para 2017 de uma forma extremamente inteligente e fashion. Bravo! O modelo Driver Seat da nova iorquina Smoke x Mirrors é inspirado na cena do rock da Inglaterra do final da década de 1970. Simples e bacana. Club House do residente de Venice Beach, Garrett Leight, é uma coleção refinada que revisita os clássicos masculinos dos anos 80, mas desta vez, sem gênero.

 

Preciosos

Algumas marcas elevaram o nível trazendo metais preciosos para a discussão, deixando claro que os óculos têm sim qualidade de joia. Linda Farrow criou um aviador sofisticado que de longe parece quase um meio aro. A mistura elegante de titânio japonês com ouro branco equilibra e repagina um clássico do eyewear: o aviador. O Clairaut da Leisure Society é nomeado em homenagem ao astrônomo Alexis Clairaut. Este óculos possui um design de dois tons “óculos dentro do óculos” que é projetado habilmente usando 10 parafusos escondidos. O aspecto distinto do óculos é obtido através da escultura de blocos sólidos de titânio. Titânio 100% puro em prata 12k, ouro 18k, ouro rosa 18k combinados com ponteiras de titânio correspondentes. Individualmente numerados e manualmente produzidos no Japão, este é um exemplo puro de óculos-joia. A edição limitada Concorde, da francêsa Ahlem, é feita de Paládio mergulhado em 3 mícrons de ouro, seja branco, rosa ou amarelo.

 

Kyme: Invasão de óculos de sol

Você pode não reconhecer pelo nome, mas garanto que já viu o Ros por aí.

A ocupação começou na Europa, varreu as praias do mediterrâneo, fincou raízes em Miami e desembarcou por aqui nos rostos de influencers como Francesca Monfrinatti, Anna Fasano e Nicole Pinheiro. Ainda não sacou? Então, Ros é o modelo mais conhecido na marca de óculos de sol Kyme.

Congela tudo e vamos ver de onde veio e a que veio a marca fundada e idealizada pelo italiano Antonello Calderoni em 2013. O início desta história não é tão incomum assim: dono de ótica, cansado de ‘mais do mesmo’, resolveu soltar sua criatividade e produzir algumas ‘pecinhas’ nas horas vagas. As ‘pecinhas’ eram timidamente apresentadas aos clientes e pouco a pouco começaram a fazer barulho e viraram best sellers, deixando na gaveta concorrentes internacionalmente conhecidos. Ops! Cheiro de coisa boa por aí.

Avant garde por natureza, e muito audacioso, Calderoni resolveu investir as fichas digamos, no lugar certo, na hora certa. Caderoni lançou sua marca bem no momento em que óculos de sol começaram a ocupar mais espaço dentre os objetos de moda, migrando do funcional para o sazonal. O que ele criou é maravilhoso: uma linha de eyewear absolutamente “fashion forward”, construída sob os pilares de inovação e movimento. Daí vem o nome Kyme, do grego, onda, sinônimo de energia e constante movimento.

A marca materializa este propósito: são diversas linhas em constante experimentações com metal, acetato, couro, esmalte e diversos tingimentos de lente. O foco são os óculos de sol e basta. Todos de altíssima qualidade, e um caimento impecável. A produção é genuinamente “fatta in Italia” , nos Dolomites.

Não satisfeito ‘apenas’ com a Kyme como ela é, Calderoni empresta seu know how a outras marcas de moda como Marco de Vicenzo and Rada. As peças desta última colaboração com aplicações de pedras, strass, metais, e muitos detalhes está na minha wish list e no caderninho como #MustHaveStatementSpecs. Combinar óculos com jóias é a próxima etapa.

Fique de olho, a marca promete ocupar ainda mais espaço no rosto dos que querem identidade, qualidade e diferenciação. Aposto que agora você já sabe reconhecer o Ros na rua, né? E se quiser partir para a compra, a Kika Simonsen tem peças exclusivas na loja, e na Lool que tem um mix magnífico!


Já assistiu?
This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.

Tem mais