óculos de madeira Archives | By The Eyewear
Óculos reciclados

É inquestionável que o aumento populacional e o subsequente consumo desenfreado levam a uma criação desconhecida de lixo orgânico e inorgânico. Reciclar se torna uma atitude cada vez mais  importante para a manutenção da saúde do planeta e das pessoas.

Algumas marcas de óculos estão trazendo resultados criativos, lindos e cheios de história para o mercado. Dê uma olhada… e deixe os pré-conceitos em casa! Óculos de madeira não dá cupim! Óculos de redes de pesca não tem cheiro de peixe!

Woodze

Óculos e Bourbon. Delícia hein!!! A marca americana Woodze se uniu à Maker’s Mark para produzir óculos feitos da madeira de carvalho dos toneis usados na produção da bebida.

Karun: Ocean Project

Óculos feitos de redes de pesca. Ocean Project vai muito além da produção de óculos de sol sustentáveis. É fruto de uma parceria da Karun com a Bureo skateboards, responsável por um programa de reciclagem que utiliza redes de pesca na fabricação de produtos. Através do programa net positiva, a Bureo pretende conscientizar sobre a limpeza dos mares e ajudar pequenas comunidades de pesca. A empresa educa, e ajuda as comunidades pesqueiras a reciclar as redes e despoluir o oceano.

Topheads

Óculos de madeira literalmente das pistas de skate!

Traps Eyewear

A Nova Inglaterra é conhecida pelo clima intimista e as boas lagostas. Logo, os fundadores da marca resolveram materializar toda emoção que o estado lhes invoca. Como? Produzindo óculos a partir das armadilhas (traps) usadas para pescar lagostas.

Mosevic

Óculos de jeans que não te serve mais. Sério. Aliás, quer ver os detalhes completos, então acesse: Jeans como você jamais viu.

Dick Moby

Pense numa marca descolada, que além de tudo é sustentável? É a Dick Moby. A marca nasceu de uma vontade de falar sobre o tema da poluição marítima de uma maneira positiva e irreverente, ou seja, cheia de estilo. Os fundadores, surfistas e amantes da história de Moby Dick passaram anos estudando a melhor maneira de transformar plástico encontrado à deriva em bio-acetato resistente o suficiente para virar óculos de sol, e de quebra é biodegradável e estiloso pra caramba. Conseguiram!

Shwood

Óculos de jornal. A Shwood queria dar outro destino ao jornal que não fosse piso de cãezinhos e gatinhos domesticados. Bolaram uma edição limitada de óculos feito à base de jornal. São camadas e camadas de papel, e nenhuma peça é igual à outra.

Homes Eyewear

Esta marca é f***. Detroit é conhecida por ser uma cidade que passou por diversas crises, sendo a crise do setor de habitação a mais recente. As casas perderam valor financeiro e estético. Muitas ficaram abandonadas. A cidade às moscas, e associada à depressão. Homes recicla a madeira destas casas abandonadas dando ao material nova chance, nova vida e novos ares! Show!!!

Criativos em pequena escala: Ybirá

Criativos em pequena escala: o futuro do design no Brasil

O Brasil tem sido palco para a produção vinda de pequenos e jovens produtores que estão rompendo com o status quo do mercado e trilhando seu próprio caminho, no qual qualidade e localidade predominam sobre quantidade e internacionalização.

O mercado de óculos em especial tem percebido tal movimento com o aumento exponencial de marcas independentes que buscam atender consumidores com estilos próprios que não precisam mais se associar a marcas e nomes comerciais. São pessoas que se enxergam em marcas pouco exploradas, e que visam consumir produtos inusitados, com história, DNA próprio e é claro, qualidade.

Tendo em vista o poder do pequeno produtor em um mundo assolado por commodities e falsas propagandas, buscamos criar um diálogo entre duas marcas jovens que estão no apogeu deste novo mercado. A 80e8 é um estúdio de design criado por dois audaciosos designers que produzem móveis funcionais e confortáveis através da manipulação de materiais reciclados, inesperados, e ao alcance deles. Das raízes do tupi-guarani, surgiu a Ybirá, tradução para madeira no dialeto indígena. Ybirá é uma marca jovem no mercado de óculos, criada em Minas Gerais por um trio que acredita que há muito brasilianismo a ser impresso nas armações e nos rostos da pessoas. Com isto em mente passaram a produzir óculos usando madeiras brasileiras de certificação.

Assim como o índio respeita a natureza e com ela desenvolve uma relação e um sustento, a Ybirá existe sobre este mesmo alicerce: levar a natureza brasileira ao mercado ótico sem causar danos por onde passa. Além do quê todos os modelos são batizados com nomes vindos do idioma Tupi Guarani. Nenhum produto sintético é usando no processo de produção das peças. Cheia de estilo, a marca mineira não para de conquistar consumidores modernos e ousados.

Devido ao fato do trabalho desses designers ser manual, as possibilidades de experimentação em termos de materiais e processos criativos são infinitas. Através dos olhos destes jovens estamos testemunhando um retorno ao artesanato e um interesse crescente na versatilidade de materiais e técnicas de manipulação.

Graças à ousadia desta geração que quer menos do mesmo, podemos olhar com frescor ao mercado de bens de consumo e imaginar um futuro mais original e livre.

Detalhes

Olhar: Tatiana Viana

Direção de arte: Iza Dezon

Contraste: Tin Tin

Texto: Iza Dezon

Agradecimento híper especial

Antônia Almeida e Fabio Esteves do 80e8

Cassia Crepaldi da Ybirá

Karün: Mais que um óculos, um estilo de vida

Karün é uma marca jovem, que em essência produz óculos. Mas, não obstante, a filosofia por trás da produção é tão maravilhosa e bem fundamentada, que a Karün entrega muito mais: entrega uma nova maneira de ver o mundo.

A marca tem em sus pilares: sustentabilidade, respeito à natureza e colaboração. Toda matéria prima, seja ela prata ou madeira, é extraída usando técnicas de zero impacto e envolvendo toda comunidade local. Karün não quer ser extravagante ou moderna, tampouco quer ser regional e se ater a feiras locais.

A marca dialoga com pessoas que têm responsabilidade social, pessoas que se importam com os processos de fabricação, pessoas que ainda se emocionam ao saber de procedência daquilo que consomem, pessoas que apreciam o storytelling e se deixam levar pela beleza de fazer parte de uma história maior, que pode ter começado na Patagônia, mas é o elo entre toda uma gama de gente que entende que não somos donos, mas coabitantes de um mesmo planeta.

Agora que me debulhei em lágrimas, me deixei levar pela beleza da produção, sim, porque sabemos que sem história não há diferenciação entre os produtos, e sem saber o que estou usando fica impossível ‘bancar’ aquele óculos, entreter as pessoas no elevador e até tirar uma selfie convincente. Sarcasmo de lado… é tudo verdade!

Os óculos não têm nenhum elemento químico ou sintético. São produzidos inteiramente à mão. As lentes são Carl Zeiss. Até o papelão das caixinhas é Certificado e tudo remete à herança indígena que deu vasão a estes lindo jovens por trás da marca que não quer ser cosmopolita ou inventar a roda, querem apenas levar a história do país deles adiante, de maneira sustentável. LINDO!


Já assistiu?
Tem mais