#PFW Archives | By The Eyewear
Alexandre Vauthier x Alain Mikli

Alexandre Vauthier transformou o Grand Palais em um clube de discoteca retro-futurista para mostrar sua coleção de alta costura SS18.

Ontem à noite, o icônico Grand Palais foi transformado em uma discoteca à lá anos 80, com luzes de neon e modelos vestidas com ombreiras exageradas, uso excessivo de tecidos formando drapeados, decotes, tules e couro. Mas a cereja do bolo ficou a cargo dos acessórios. Chapéus militares, botas de couro, broches dourados e os óculos! Que óculos mais maravilhosos criados a quatro mãos com o mago Alain Mikli.

Alexandre Vauthier Couture Spring 2018

Pausa rápida para uma pequena contextualização. O designer de óculos Alain Mikli é um dos mais importantes da sua geração; muitos podem argumentar que ele é o responsável por transformar os óculos em objeto sexy e em um real acessório de moda. Desde o lançamento da marca homônima em 1978, Mikli é conhecido por criar campanhas provocativas, criar peças que marcaram época e foi quem “vestiu” o rosto da musa Grace Jones durante as décadas de 80 e 90. Mais recentemente ele colaborou com Jeremy Scott na criação de óculos coloridas que revisitam seu icônico óculos de sol assimétrico dos 80s, que estampou editoriais nos rostos de famosos como Dave Bowie.

Dito isto, na noite passada, o mundo conheceu esta colaboração nova e extremamente interessante. Os óculos são inspirados no próprio desfile de Vauthier e no trabalho de fotógrafos de moda como Helmut Newton e Guy Bourdin. Para esta coleção foram criados três modelos que visitam nitidamente os arquivos dos anos 80 de Mikli: Edwidge, Edwidge jewelled, Roselyne e Nadége.

Edwidge e Edwidge jeweled são o modelo ‘porta-voz’ do conceito da colaboração: uma mulher francesa moderna com ar retro e muita, muita força. Este design retangular bem raso e as lentes super escuras são emblemáticas deste mood undergroud. Roselyn, também inspirada pelo arquivo de Mikli, é um óculos ultra-feminino oversized adornado com cristais. Nadége é futurista, industrial e limpo com uso excessivo de metal e de conceitos militares, super presentes na passarela de Vaulthier.

A campanha de lançamento da colaboração dos óculos foi fotografada pela dupla Mert & Marcus e traz a divina maravilhosa Kate Moss como musa. A coleção estará disponível a partir de abril de 2018.

“As mulheres que usam minhas coleções em todo o mundo são sensuais e poderosas e essa colaboração com Alain Mikli foi feita para essas mulheres ousadas e inspiradoras”.

#PFW

Enfim… férias

A maratona de #FashionWeeks chegou ao fim e as fashionistas podem aproveitar as merecidas férias levando consigo todas as tendências, novidades, e esquisitices que só semanas excêntricas como as de moda nos proporcionam.

Paris foi o ponto final das coleções #SS16. E os ânimos se dividiram entre “nossa, mara, morri!” para momentos de “você usaria isto, tipo na rua?”. A moda desfilada desafiou o conforto e os padrões. Foi um pot-pourri de criações, e craziness, como era de se esperar.

Entre saguões de desembarque e modelos amarradas no cangote de outras modelos, o mundo viu de tudo, mesmo. Mas o que nos interessa é ver óculos sendo apresentados como parte íntegra das coleções e como peças desejo.

Aos destaques:

Akris

Ode à arquitetura.

Troféu #SouFã, dado que todas as modelos entraram de óculos escuros na passarela.

A influência para este desfile da marca suíça veio do arquiteto japonês Sou Fujimoto. As peças todas buscaram referencias, traços e diálogos nas obras arquitetônicas de Sou. Os óculos apresentados, minimais e futuristas, são uma imitação dos mesmos usados por Sou.

Redemption + JPulse Eyewear

Sofisticação, muito acetato, desenhos maxi e setentinhas, em linha com os couros e camurças apresentados.

Rochas

Ladylike at its best.

Pura fluidez, feminilidade e sofisticação em uma coleção repleta de #ThrowBacks e namoro com coutures de coleções já passadas. O mesmo vale para os óculos: maxi, com lentes coloridas e translúcidas o suficiente para que vejamos o olhar sexy de quem os conduz.

Miu Miu

Neoclássico, cores, excessos, mídi, confusão de paletas e tecidos, e óculos pesados, com lentes escuras e priorização dos metais ante os acetatos.

Loewe

Anderson queria “afiar as quinas” com este desfile. #Kudos.

A coleção SS16 estava meio caminho entre o futurismo estiloso e uma viagem ao espaço. Os óculos híper recortados e geométricos pareceram adequados a estas modelos vestindo macacões prestes a embarcar em alguma nave intergaláctica.

Stella McCartney

Stella did it again!

Nada de drama. Uma coleção limpa, moderna, elegante e pasme… usável! Tons claros e pasteis enfeitaram corpos femininos. No rosto as modelos trouxeram verdadeiras máscaras para o sol. Peças gráficas, imensas e divertidas. Propícias para o verão descolado da Stella, e para qualquer momento despojado.

Chanel

Last but not least

Karl fez de seus desfiles verdadeiros eventos. Desta vez convidou o mundo da moda para decolar do Aeroporto Paris Cambon abordo da linha aérea mais chique de todos os tempos: Chanel Airlines. Na passarela looks divertidos que flertam com o DNA da Maison, leia-se tweeds e Cs cruzados, e paqueram tendências do #StreetStyle. O resultado: Birkenstocks que acendem (à lá tênis dos anos 90), casacos ¾ e a cereja do bolo, dado que estamos em um ambiente de aviação: maxi aviadores espelhados, com lentes coloridas (quem lembra do Tuttolente da RetroSuperFuture, pois é)?

 

Voilá!

A bientôt, Paris!


Já assistiu?
Tem mais