Sabine Be Archives | By The Eyewear
10 Designers mulheres para seguir já

Sendo uma mulher, uma usuária orgulhosa de óculos e uma pessoa que acredita que todo o design deve ser um reflexo das intenções dos designers, eu não poderia deixar este mês passar sem celebrar 10 designers incríveis que eu tive o prazer de conhecer. Lembre-se que o mundo dos óculos está cheio de mulher extraordinárias, todas com vozes diferentes, conceitos interessantes e convicções firmes. Estes são apenas alguns nomes que você deve conhecer e ficar de olho.

 Caroline Abram – Caroline Abram Paris

Caroline é a personificação perfeita do “estilo mulher francesa”. Ela é elegante, delicada e muito forte, bem como seus desenhos. Uma optometrista que virou designer, ela é obcecada por detalhes e cores. Seus óculos são feitos para todas as mulheres que quiserem se sentir fabulosas e quiserem vestir sua própria confiança. Seus desenhos começam com o formato das sobrancelhas da mulher e então ela desenha o resto do shape. Dito isto, o fit é absolutamente incrível, cada um de seus óculos parece que foram feitos apenas para você. O uso de cores faz com que você deseje combinar cada óculos com uma paleta de maquiagem diferente e uma bolsa mais extravagante. Sem mencionar que seus desenhos tornam óbvio que todas as mulheres podem e devem explorar a maquiagem por detrás desses óculos que são acessórios e não são de modo algum uma máscara para se esconder.

 

 

Gai Gherardi & Barbara McReynolds – l.a.Eyeworks

l.a.Eyeworks faz parte da história dos óculos. A marca é a visão de duas mulheres extremamente inspiradoras: Barbara McReynolds e Gai Gherardi. “Nós projetamos óculos para celebrar a diversidade dos rostos e a singularidade dos indivíduos. Os óculos que fazemos são faíscas da nossa imaginação. Você completa esses pensamentos e traz os sonhos de l.a.Eyeworks”. Desde o final dos anos 70, eles desafiam o mercado de óculos, as normas e tornam cada vez mais claro que “Um rosto é como uma obra de arte. Isso merece uma excelente armação. “E armações com A são o que eles entregam. Explorar diferentes formas e brincar com cores divertidas e combinações únicas de acetato são sua maior especialidade. Essas mulheres não conhecem nenhum limite para sua imaginação.

 

Marion Frost – Frost Eyewear

Marion tem esta personalidade enorme e amorosa. Excêntrica de sua maneira fabulosa. Ela vive completamente absorvida em detalhes, e é atenção aos detalhes que é uma principais características de suas criações. Ela é uma contadora de histórias e uma pessoa que acredita na beleza das narrativas. Seus projetos começam com histórias de sua infância e outras que ela ouviu ao longo do caminho. Estes podem ser tão simples como uma senhora que vive na floresta, tão intrincadas como o movimento de moléculas ou um conto inspiracional no qual um shape específico te ajuda a clarear o pensamento. E as histórias são contadas em óculos fascinantes e muito incomuns que muitas vezes misturam composições de cores únicas. Ela faz questão de mostrar que seus óculos têm o poder de transformar quem os usa. Marion brilha, seus olhos contam histórias e ela dominou o conceito de traduzir essa adorável imaginação dela para seus consumidores. Ela realmente acredita no poder de transformador de um bom óculos.

 

Anna-Karin Karlsson

Anna é a figura feminina forte que está em todos nós (mas nem todas temos a coragem de mostrar). Assim com sua personalidade, seus óculos são ousados, cheios de detalhes e absurdamente complexos. Sua vontade principal em projetar óculos é levar beleza ao mundo. Ela quer que suas consumidoras sejam suas porta-vozes vestidas com essa armadura espetacular incrustrada com cristais, metais e pedras preciosas. Anna é obcecada por contos de fadas e todas as suas coleções começam neste maravilhoso mundo de fantasia e são então traduzidas para seus óculos. Cada par é uma jornada maravilhosa através de mundos fantásticos com a mesma mulher extremamente impressionante e maravilhosa no banco do motorista. Seus óculos destinam-se a fazer as mulheres se sentirem absolutamente deslumbrantes.

 

Ahlem Manai-Platt- Ahlem Eyewear

Ahlem é Paris. Seus óculos representam a verdadeiro Paris, criada pela história, o caos, a diversão e a singularidade que fazem de Paris esta cidade única. Cada óculos tem o nome de um bairro parisiense e as principais características da área são traduzidas para os óculos. A principal inspiração para cada “família” vem da arquitetura e das ruas que tornam cada vizinhança única. Esta não é uma marca orientada pela moda, é uma marca de amor criada por uma verdadeira parisiense. Os óculos de Ahlem não gritam por atenção, pelo contrário, são desenhos cheios de personalidade, mas que não é um “show stopper”, mas um “potenciador de personalidade”. Ahlem acredita que os óculos que alguém usa são um sinal claro de sua personalidade, algo tão ligado a quem ele realmente é que é quase impossível mentir, ou se esconder atrás de uma armção.

 

Fa Empel – Pawaka

Fahrani Empel (Fa ‘) é a mente criativa por trás da marca de óculos Pawaka. Ela é uma figura incrivelmente feroz e complexa: designer, modelo, atriz e ativista ambiental, para citar algumas de suas facetas muito interessantes. Nascida na Indonésia, ela conseguiu trazer seu patrimônio e rico passado cultural ao design que mistura histórias com um quê futurista. PAWAKA é a palavra sânscrita para fogo; e era o codinome de seu avô durante a Segunda Guerra Mundial. Prestando homenagem à terra nativa de Fa, todos os óculos são nomeados na ordem numérica da Língua Bahasa Indonésia. Pawaka é uma jornada através dos elementos, através da cultura e da natureza, trazidos por um globetrotter que domina a cultura pop e tem uma identidade muito firme sobre a qual se ergue. Os óculos da Pawaka têm uma discreta rigidez que os torna tão interessantes quanto nossa protagonista. Leva algum tempo para deixar o design penetrar, e você precisa de calma para apreciar as formas contrastantes e as bordas agudas.

Sabine Bégault-Vagner – Sabine Be

Sabine é uma daquelas pessoas com uma luz própria e uma jovialidade deliciosa. Esta leveza e diversão que ela carrega consigo são a base de todo seu design. Criar óculos é um sonho de infância que só foi realizado mais tarde em sua vida, mas vemos claramente a paixão que transborda em cada coleção. Todos os seus desenhos, seja para homens, mulheres ou crianças, têm a mesma vibração. A ideia de diversão e jogos começa com o círculo e o quadrado que compõe seu logotipo, depois são traduzidos para as ponteiras e para o frontal dos óculos. Tudo é leve, alegre e despreocupado. Sua missão de marca deveria estar em todos nós, e apesar de muito forte e muito clara, é contrabalançada por desenhos leves e bem humorados. De acordo com Sabine: be as in to be. be as in to exist. Passionately be. Simply Be.

 

 

Nadine Dalal- Delalle

Delalle encarna a jornada de Nadine e a realização de um sonho, que a levou de Beirute a Londres e muito além, para criar uma marca de luxo autêntica e, acima de tudo, única. Os desenhos de Nadine são um reflexo de seus sonhos e sua imaginação que viaja em todo o mundo e durante todas as décadas, mas sempre é guiada por um sentimento de saber quem você é e o que te faz feliz. Cada par destes óculos de luxo apresenta um toque distintivo, produzido por uma fusão contínua da inspiração e da cultura contemporânea, materializando-se em um produto de alta qualidade que é ao mesmo tempo distinto e moderno. “Delalle foi imaginado para pessoas que como eu gostam de peças imensas, não têm medo de se expressar e gostam de estimular a imaginação. Essencialmente, cada coleção vem como uma edição limitada. Sem dúvida, o design de óculos abriu portas para executar e retratar minha criatividade e paixão pelo design “.

Erida Schaefer – La Frida

Erida é um artista, não só isso, mas como eu, ela é brasileira. O design de óculos ainda é algo raro em nosso país, então, conhecendo-a, me encheu de alegria. Ela sempre trabalhou com cores e materiais. Mas apenas recentemente ela descobriu nos óculos o suporte perfeito para sua linguagem notável. Muito parecido com sua personalidade ousada, seus projetos são chamativos, divertidos e espirituosos. Ela projeta óculos que chamam a atenção para o usuário e suas criações são a cereja em qualquer bolo: criativos, cativantes e verdadeiramente únicos. Uma vez ela me contou que começou a pintar seus óculos de sol vintage porque ela estava entediada com a paleta monótona que via nas ruas e não conseguia entender por que as pessoas se escondiam atrás de óculos escuros sem graça quando deveriam ser elas mesmas. Ela então assumiu o trabalho de mostrar às mulheres como os óculos divertidos e personalizados podem ser importantes na hora de criar um look. Sorte nossa que ela trocou as telas pelas armações.

Marie Wilkinson- Cutler and Gross

Graham Cutler e Tony Gross trouxeram Marie Wilkinson a bordo por causa de seu “bom gosto e senso inato de estilo”. Marie é diretora criativa da marca londrina Cutler e Gross há mais de 30 anos. Ela é uma mulher excepcional, com domínio técnico completo e um olhar para a sofisticação. Ela entende que uma escolha ousada de óculos indica uma certa confiança interior e, assim, cria óculos para ajudar as pessoas das mais diferentes personalidades a contar suas histórias.

 

 

 

Peso x Leveza

O seu drama não era o drama do peso, mas o da leveza. O que se abatera sobre ela não era um fardo, mas a insustentável leveza do ser.

A Insustentável leveza do ser

Milan Kundera

A aproximação do final do ano sempre invoca uma autorreflexão com questionamentos acerca de uma etapa que se encerra: e agora? Será que cumpri as metas deste ano? O que ”fazer” e pretendo “ser” no ano que vem? Será…? E se…? Quando? Estas reflexões que todos nós fazemos, em maior ou menor grau, conduziu-me a pensar em um tema que, neste ano, mais do que nunca, devido ao lançamento do BTE, sempre me acompanhou: até que ponto meus óculos me definem?

A resposta é simples: Não me definem… Mas através deles, eu me posiciono. Sou uma apaixonada por óculos ou, como dizem por aí, heavy user! Logo, afirmo: nenhum objeto externo é capaz de nos dizer quem somos. Mas com estas “ferramentas” podemos moldar quem queremos ser.

Pensando nesta proposta, e tendo em mente a responsabilidade e o “peso” de usar modelos exóticos, de buscar direcionar olhares, de querer que as pessoas pensem alguma coisa só de olhar para o meu rosto, revisitei a obra prima de Milan Kundera. A partir da dualidade unitária do Ser, daquele que sabe o que é, e daquele outro que surge da presença de uma entidade – neste caso, meus óculos – apresento o ensaio a seguir: .

“A leveza do rosto desnudo x o peso de um rosto cuja visão está restrita ao campo de uma armação. A leveza do ser como ele é x o peso de um rosto que se posiciona. A leveza de sermos iguais x o peso de buscar se destacar. A leveza de um balão x o peso dos óculos… tal é este ensaio, que busca equilíbrio, seja nas armações translúcidas, na paleta de cores pastel, na brincadeira das expressões”.

Um convite para pensar e, quiçá, em 2016, sair da sua zona de conforto e entrar para a turma dos que #UsamÓculosComOrgulho. Experimente uma armação nova busque ver o mundo com um outro olhar, ouse se apresentar de outra maneira, com uma cor ou um modelo novo no rosto.

Fica o convite. E se precisar de uma ajudinha, estou por aqui 🙂


Já assistiu?
Tem mais