Safilo Archives | By The Eyewear
Entrevista com a CEO da Safilo

A empresa italiana Safilo é a segunda maior fabricante de óculos no mundo. Dentre as marcas produzidas estão: Givenchy, Jimmy Choo, Moschino, Carrera, Fendi, Polaroid, para citar algumas.

Eu tive a oportunidade de bater um papo com Luisa Delgado, CEO à frente desta potência. Os óculos deixaram de ser apenas óculos e viraram acessórios de moda. Aplicativos nos avisam sobre a intensidade dos raios UV. Um óculos pode ser usado de 7 maneiras diferentes. Estes são alguns dos desafios e inovações que fazem da Safilo uma potência. Ficou curioso? Aperte o PLAY e sabia como a CEO de uma das maiores empresas de óculos do mundo enxerga estas mudanças.

Havaianas Eyewear

Quando soubemos do lançamento da coleção de eyewear das Havaianas a primeira coisa que veio à mente foi: Por que demoraram tanto tempo? É inconcebível ir à praia sem chinelos e menos ainda sem óculos de sol, né?

Chegam às lojas das Havaianas e às óticas em Agosto a primeira coleção de eyewear da marca, produzida na Itália pela Safilo.

Os óculos da coleção Havaianas eyewear trazem o espírito do verão brasileiro com muitas cores e combinações inusitadas, que assim como as sandálias, vão da areia das praias para os centros urbanos. A linha possui 4 modelos de óculos de sol, com tamanhos e cores variadas, batizados com nomes de famosas praias brasileiras, são elas: Rio, Paraty, Trancoso e Noronha.

Além destes quatro shapes, a coleção tem um modelo especial batizado de Brasil. O único óculos da coleção produzido em acetato, e que possui layers nas cores da bandeira nacional. Em tempo dos jogos olímpicos.

Os óculos são produzidos em três materiais: borracha (com a mesmíssima textura das havaianas), acetato e poliamida transparente (material mais flexível e confortável), em tamanhos que vão do pequeno ou júnior ao grande. Já as lentes possuem proteção UVA/UVB com diferentes finalizações: sólida em preto ou marrom, gradiente (com graduação de cores de escura a clara) e espelhada. Todos os modelos são unissex.

Não por acaso os óculos seguem as cores das sandálias deixando mais do que evidente que óculos deve ser sim coordenado com o look! Ir à praia tomar sol adquiriu uma conotação bem mais descolada.

Efeito Borboleta

A internet se ajoelhou nesta semana diante do lançamento do filme fashion da Miu Miu com Kaia Gerber, filha do ícone da moda dos anos 90, Cindy Crawford.

Kaia é protagonista do vídeo de lançamento da campanha de óculos Scenique, da Miu Miu. A campanha, faz jus ao título e explora aquela sensação lânguida de ficar na piscina, aproveitando um dolce far niente, como em um quadro de David Hockney.

As peças desta coleção flertam com um design retrô e tem na figura da borboleta, seu centro. Os óculos e o mood da campanha trazem à tona dois contrastes muito presentes na mulher Miu Miu: brincalhona e feminina. O design é exuberante e leve ao mesmo tempo. A coleção traz modelos em metal e acetato (mais grossos) e uma coleção ótica bem divertida e caricata.

Ainda neste tema vale relembrarmos de outras marcas que também exploraram e muito bem a questão do efeito borboleta, seja usando apenas sua forma, seja brincando com seu shape quase como uma máscara. A percussora deste ‘trend’ foi Peggy Guggenheim nos anos 50. Confira peças que vão te fazer voar!

Geometria, vanguarda e espelhos quebrados…Má sorte? Nada disso!

 Tudo se resume ao olhar.

As coleções Outono/Inverno 2015 trouxeram a geometria, a feminilidade e os volumes. Os óculos que serão vistos por aí têm isto em comum: maxi, contrastantes e volumosos.

A Fendi apostou no construtivismo que inspirou a coleção Roman Luxury House. Jogando com a estética de linhas geométricas e volumes, estes novos modelos celebram a modernidade e a feminilidade da Fendi por meio de um extraordinário jogo de proporções balanceadas.

A Dior mergulhou fundo na justaposição e na mistura de elementos masculinos e femininos, que juntos são uma obra prima: o Dior Abstract, que une tecnologia, design e audácia. O metal e o acetato são fundidos de modo que cada um traz à cena seu elemento essencial: seja a força do metal ou as cores de acetato. Arquitetura e futurismo estão em jogo.

A Marc Jacobs foi buscar nos movimentos vanguardistas aquela mulher feminina, adepta das máscaras over-size com lentes dégradée e muito metal recortado.

Os espelhos entraram neste cenário como volumes recortados atuando como extensão do jogo de grafismos apresentado pelos designers. Se a Fendi e a Dior brincaram com os conceitos de  “armação dentro da armação”, então a foto e o espelho quebrado operam como uma moldura dentro de outra moldura, dialogando ainda mais com a questão do enquadramento, do olhar, e do foco. Todo cenário é recortado até chegarmos ao elemento essencial: os óculos.  Cada espelho conta sua história e cada óculos traz seu personagem. Tudo se resume ao olhar.

Somos todos malucos. Quem não quer ver malucos, deve quebrar os espelhos.

   _ Voltaire

Detalhes

Olhar: Caddah

Composição: Mariana Briquet

Specs: Safilo

Agradecimento: Suporte Comunicação

 

Peggy Guggenheim por um dia

E se sua meta fosse comprar uma obra de arte por dia?

I took advice from none but the best. I listened, how I listened! That’s how I finally became my own expert.

Peggy Guggenheim, cujo nome verdadeiro era Marguerite, foi uma das colecionadoras e mecenas que mais se destacou no século XX. Peggy adquiriu obras dos artistas contemporâneos mais importantes da época, como Salvador Dali, Joan Miró, Marc Chagall, René Magritte, Jackson Pollock, Giorgio di Chirico, Pablo Picasso, Piet Mondrian, Yves Tanguy e Max Ernst (os três últimos amantes e marido de Peggy, respectivamente).

Peggy levava uma vida excêntrica e boêmia, convivendo com inúmeros artistas, especialmente no período entre-guerras. Este ambiente fervoroso e criativo, e seu faro por tendências, fez dela uma ditadora de modismos.

Segundo reportagem da Vogue, ela gostava de dizer que as roupas refletiam seu estado de espírito e defendia a moda como uma importante expressão artística. Não é de se espantar então que ela tenha elevado o óculos a um outro patamar: arte-desejo.

Entre tantas extravagâncias fashion, uma delas ganhou especial notoriedade, tornando-se um dos ícones de seu estilo: os óculos de sol em formato de borboleta. A peça foi desenhada pelo amigo surrealista Edward Malcarth em 1966. A armação apresenta lentes espelhadas ton-sur-ton, com perfis contrastantes em tons castanhos, remetendo às recordações românticas e reflexões sobre os azuis dos canais de Veneza.

No ano passado, a Safilo lançou uma edição limitada dos icônicos óculos da Peggy em comemoração aos 80 anos da empresa. Os modelos podem ser comprados na fundação Peggy Guggenheim e na Solstice.

Vivenciar Veneza pelas lentes azuis de Malcarth, vendo os canais do terraço da fundação Peggy Guggenheim é um sonho! Passar pela Casa da Peggy com calma é um raro prazer aos amantes de arte. Outra dica é o documentário “Peggy Guggenheim-Art Addict“. O longa metragem conta a história da famosa colecionadora de arte. Em suma, Peggy vai muito além das histórias que ouvimos e lemos, ela era uma desbravadora, uma mulher independente e cheia de atitude antes da invenção de qualquer movimento feminista. Ela é ainda hoje um ícone contemporâneo.


Já assistiu?
Tem mais