Salete Goldfinger Archives | By The Eyewear
Veneza através das lentes de Dzmitry Samal

Intersection 01

Desbravando Veneza de maneira magnífica: com o Intersection 01 Ocean Blue do Dzmitry Samal. O dia foi dedicado a ver a cidade através destas lentes cinza dégradée com armação que mistura elementos futuristas com curvas retrô. É tanta informação em um óculos só que vale abrir um parentes aqui e explicar quem é a metamorfose por trás do Samal Design, ainda pouco conhecido.

Tudo indica que este semi anonimato mudará em breve. Samal acabou de ser indicado na categoria design como um dos cinco favoritos ao Silmo D’Or, o equivalente ao Oscar para nosso setor.

Nascido na Bielorrússia, Dzmitry Samal começou a carreira como designer de automóveis, mas viu que havia pouco espaço para experimentação e ousadia neste projetos, todos caros e demorados. Migrou para Paris, onde se envolveu com design de objetos. O marco foi a concepção e comercialização do primeiro relógio de pulso feito em concreto. O próximo passo foi a produção de uma linha de óculos experimental que dialogasse com o excesso de informação e tecnologia que atualmente nos assola, resultando na linha 5DPI, composta por peças que parecem pixeladas e saídas da tela de um videogame qualquer.

Todos os seus designs são resultado de inspiração multidisciplinar que olha para a art deco, o construtivismo urbano, os games dos anos 80 e o fascínio com o futuro e a informação. A base das coleções está no conceito de “Futurismo neo-retrô”, nas palavras do próprio designer.

O resultado é um produto genuíno, criativo e diferente de qualquer outro. Temos como objetivo desenvolver peças que façam as pessoas se sentir bem. Queremos colocar um sorriso no rosto de todos os nossos clientes, sem qualquer limitação de idade, sexo ou origem.

Peggy Guggenheim por um dia

E se sua meta fosse comprar uma obra de arte por dia?

I took advice from none but the best. I listened, how I listened! That’s how I finally became my own expert.

Peggy Guggenheim, cujo nome verdadeiro era Marguerite, foi uma das colecionadoras e mecenas que mais se destacou no século XX. Peggy adquiriu obras dos artistas contemporâneos mais importantes da época, como Salvador Dali, Joan Miró, Marc Chagall, René Magritte, Jackson Pollock, Giorgio di Chirico, Pablo Picasso, Piet Mondrian, Yves Tanguy e Max Ernst (os três últimos amantes e marido de Peggy, respectivamente).

Peggy levava uma vida excêntrica e boêmia, convivendo com inúmeros artistas, especialmente no período entre-guerras. Este ambiente fervoroso e criativo, e seu faro por tendências, fez dela uma ditadora de modismos.

Segundo reportagem da Vogue, ela gostava de dizer que as roupas refletiam seu estado de espírito e defendia a moda como uma importante expressão artística. Não é de se espantar então que ela tenha elevado o óculos a um outro patamar: arte-desejo.

Entre tantas extravagâncias fashion, uma delas ganhou especial notoriedade, tornando-se um dos ícones de seu estilo: os óculos de sol em formato de borboleta. A peça foi desenhada pelo amigo surrealista Edward Malcarth em 1966. A armação apresenta lentes espelhadas ton-sur-ton, com perfis contrastantes em tons castanhos, remetendo às recordações românticas e reflexões sobre os azuis dos canais de Veneza.

No ano passado, a Safilo lançou uma edição limitada dos icônicos óculos da Peggy em comemoração aos 80 anos da empresa. Os modelos podem ser comprados na fundação Peggy Guggenheim e na Solstice.

Vivenciar Veneza pelas lentes azuis de Malcarth, vendo os canais do terraço da fundação Peggy Guggenheim é um sonho! Passar pela Casa da Peggy com calma é um raro prazer aos amantes de arte. Outra dica é o documentário “Peggy Guggenheim-Art Addict“. O longa metragem conta a história da famosa colecionadora de arte. Em suma, Peggy vai muito além das histórias que ouvimos e lemos, ela era uma desbravadora, uma mulher independente e cheia de atitude antes da invenção de qualquer movimento feminista. Ela é ainda hoje um ícone contemporâneo.


Já assistiu?
Tem mais