Tendência Archives | By The Eyewear
Como usar óculos estampados

Usamos estampas em quse tudo, o tempo todo, e a moda nos diz que misturar estampas é ok. Então como fazemos para usar óculos estampados e ficar super cool?

Nossa expert Chantal Goldfinger entrega as dicas e os modelos que estão em alta nesta temporada. PLAY!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Óculos com lentes espelhadas: sim ou não?

Quer saber se ainda vale a pena investir em um par com lentes espelhadas? Aperte o PLAY!

Verdade seja dita, as espelhadas vieram para ficar! Então não precisa ficar acanhada (ou acanhado) ao escolher um par bem reflexivo na loja. Mas, veja bem, como tudo na vida os modelos evoluíram e as cores mudaram, mas a tendência segue firme e forte! Agora, se quiser saber de fato quais os modelos mais cool e as marcas mais descoladas no quesito espelhadas, aí meu bem, só apertando o play mesmo!

🙂

 

Dicas fáceis de estilo para quem usa óculos

Mari Flor da Rosa autora do site Closet da Mari ensina como usar óculos de dia e à noite, sem medo, sem preconceito e sem gastar muito. Aperte o PLAY!

RVS eyewear 2016

O que esperar o galã, excêntrico e pop Vidal Erkohen, designer por trás da marca RVS eyewear?

Em um bate papo exclusivo no Silmo em Setembro ele nos adiantou algumas coisas. A marca continua com foco nos modelos solares (a linha ótica é tão contida que não parece pertencer à mesma família), que seguem a pegada fashion da marca. As novidades são: Investimento nos modelos redondos com pontes duplas, acetato e metal bem delicados nas hastes, lentes verdes e roxas. Todos os modelos são bicolores.

A coleção é mais comercial e menos extravagante que a apresentada em 2015, com seus modelos quadrados, triangulares e muita ousadia. Os desenhos são contidos, embora maravilhosos. A qualidade segue inegavelmente alta, e os traços fazem jus ao nome: RARE VINTAGE SUNGLASSES. Perfeitos para homens e mulheres elegantes, mas nada óbvios.

Kyme: Invasão de óculos de sol

Você pode não reconhecer pelo nome, mas garanto que já viu o Ros por aí.

A ocupação começou na Europa, varreu as praias do mediterrâneo, fincou raízes em Miami e desembarcou por aqui nos rostos de influencers como Francesca Monfrinatti, Anna Fasano e Nicole Pinheiro. Ainda não sacou? Então, Ros é o modelo mais conhecido na marca de óculos de sol Kyme.

Congela tudo e vamos ver de onde veio e a que veio a marca fundada e idealizada pelo italiano Antonello Calderoni em 2013. O início desta história não é tão incomum assim: dono de ótica, cansado de ‘mais do mesmo’, resolveu soltar sua criatividade e produzir algumas ‘pecinhas’ nas horas vagas. As ‘pecinhas’ eram timidamente apresentadas aos clientes e pouco a pouco começaram a fazer barulho e viraram best sellers, deixando na gaveta concorrentes internacionalmente conhecidos. Ops! Cheiro de coisa boa por aí.

Avant garde por natureza, e muito audacioso, Calderoni resolveu investir as fichas digamos, no lugar certo, na hora certa. Caderoni lançou sua marca bem no momento em que óculos de sol começaram a ocupar mais espaço dentre os objetos de moda, migrando do funcional para o sazonal. O que ele criou é maravilhoso: uma linha de eyewear absolutamente “fashion forward”, construída sob os pilares de inovação e movimento. Daí vem o nome Kyme, do grego, onda, sinônimo de energia e constante movimento.

A marca materializa este propósito: são diversas linhas em constante experimentações com metal, acetato, couro, esmalte e diversos tingimentos de lente. O foco são os óculos de sol e basta. Todos de altíssima qualidade, e um caimento impecável. A produção é genuinamente “fatta in Italia” , nos Dolomites.

Não satisfeito ‘apenas’ com a Kyme como ela é, Calderoni empresta seu know how a outras marcas de moda como Marco de Vicenzo and Rada. As peças desta última colaboração com aplicações de pedras, strass, metais, e muitos detalhes está na minha wish list e no caderninho como #MustHaveStatementSpecs. Combinar óculos com jóias é a próxima etapa.

Fique de olho, a marca promete ocupar ainda mais espaço no rosto dos que querem identidade, qualidade e diferenciação. Aposto que agora você já sabe reconhecer o Ros na rua, né? E se quiser partir para a compra, a Kika Simonsen tem peças exclusivas na loja, e na Lool que tem um mix magnífico!

#PFW

Enfim… férias

A maratona de #FashionWeeks chegou ao fim e as fashionistas podem aproveitar as merecidas férias levando consigo todas as tendências, novidades, e esquisitices que só semanas excêntricas como as de moda nos proporcionam.

Paris foi o ponto final das coleções #SS16. E os ânimos se dividiram entre “nossa, mara, morri!” para momentos de “você usaria isto, tipo na rua?”. A moda desfilada desafiou o conforto e os padrões. Foi um pot-pourri de criações, e craziness, como era de se esperar.

Entre saguões de desembarque e modelos amarradas no cangote de outras modelos, o mundo viu de tudo, mesmo. Mas o que nos interessa é ver óculos sendo apresentados como parte íntegra das coleções e como peças desejo.

Aos destaques:

Akris

Ode à arquitetura.

Troféu #SouFã, dado que todas as modelos entraram de óculos escuros na passarela.

A influência para este desfile da marca suíça veio do arquiteto japonês Sou Fujimoto. As peças todas buscaram referencias, traços e diálogos nas obras arquitetônicas de Sou. Os óculos apresentados, minimais e futuristas, são uma imitação dos mesmos usados por Sou.

Redemption + JPulse Eyewear

Sofisticação, muito acetato, desenhos maxi e setentinhas, em linha com os couros e camurças apresentados.

Rochas

Ladylike at its best.

Pura fluidez, feminilidade e sofisticação em uma coleção repleta de #ThrowBacks e namoro com coutures de coleções já passadas. O mesmo vale para os óculos: maxi, com lentes coloridas e translúcidas o suficiente para que vejamos o olhar sexy de quem os conduz.

Miu Miu

Neoclássico, cores, excessos, mídi, confusão de paletas e tecidos, e óculos pesados, com lentes escuras e priorização dos metais ante os acetatos.

Loewe

Anderson queria “afiar as quinas” com este desfile. #Kudos.

A coleção SS16 estava meio caminho entre o futurismo estiloso e uma viagem ao espaço. Os óculos híper recortados e geométricos pareceram adequados a estas modelos vestindo macacões prestes a embarcar em alguma nave intergaláctica.

Stella McCartney

Stella did it again!

Nada de drama. Uma coleção limpa, moderna, elegante e pasme… usável! Tons claros e pasteis enfeitaram corpos femininos. No rosto as modelos trouxeram verdadeiras máscaras para o sol. Peças gráficas, imensas e divertidas. Propícias para o verão descolado da Stella, e para qualquer momento despojado.

Chanel

Last but not least

Karl fez de seus desfiles verdadeiros eventos. Desta vez convidou o mundo da moda para decolar do Aeroporto Paris Cambon abordo da linha aérea mais chique de todos os tempos: Chanel Airlines. Na passarela looks divertidos que flertam com o DNA da Maison, leia-se tweeds e Cs cruzados, e paqueram tendências do #StreetStyle. O resultado: Birkenstocks que acendem (à lá tênis dos anos 90), casacos ¾ e a cereja do bolo, dado que estamos em um ambiente de aviação: maxi aviadores espelhados, com lentes coloridas (quem lembra do Tuttolente da RetroSuperFuture, pois é)?

 

Voilá!

A bientôt, Paris!

Geometria, vanguarda e espelhos quebrados…Má sorte? Nada disso!

 Tudo se resume ao olhar.

As coleções Outono/Inverno 2015 trouxeram a geometria, a feminilidade e os volumes. Os óculos que serão vistos por aí têm isto em comum: maxi, contrastantes e volumosos.

A Fendi apostou no construtivismo que inspirou a coleção Roman Luxury House. Jogando com a estética de linhas geométricas e volumes, estes novos modelos celebram a modernidade e a feminilidade da Fendi por meio de um extraordinário jogo de proporções balanceadas.

A Dior mergulhou fundo na justaposição e na mistura de elementos masculinos e femininos, que juntos são uma obra prima: o Dior Abstract, que une tecnologia, design e audácia. O metal e o acetato são fundidos de modo que cada um traz à cena seu elemento essencial: seja a força do metal ou as cores de acetato. Arquitetura e futurismo estão em jogo.

A Marc Jacobs foi buscar nos movimentos vanguardistas aquela mulher feminina, adepta das máscaras over-size com lentes dégradée e muito metal recortado.

Os espelhos entraram neste cenário como volumes recortados atuando como extensão do jogo de grafismos apresentado pelos designers. Se a Fendi e a Dior brincaram com os conceitos de  “armação dentro da armação”, então a foto e o espelho quebrado operam como uma moldura dentro de outra moldura, dialogando ainda mais com a questão do enquadramento, do olhar, e do foco. Todo cenário é recortado até chegarmos ao elemento essencial: os óculos.  Cada espelho conta sua história e cada óculos traz seu personagem. Tudo se resume ao olhar.

Somos todos malucos. Quem não quer ver malucos, deve quebrar os espelhos.

   _ Voltaire

Detalhes

Olhar: Caddah

Composição: Mariana Briquet

Specs: Safilo

Agradecimento: Suporte Comunicação

 

Dior invadiu o street style

Se fôssemos colocar uma data para esta primeira etapa da ‘invasão’ seria 2014, quando a rainha Rihrhi apareceu com o So Real, espelhadásso, futurista, com a ponte elevada, e aquele porte que só a rainha malcriada do pop tem.

Matadora! Foi o pontapé inicial. Se a Kim Kardashian “Quebrou a Internet” com sua foto na Paper Mag, digamos que a entrada triunfal da Rhianna com seu So Real no desfile da Dior em 2014 teve o mesmo efeito cascata.

Os óculos (que não são baratos) começaram a pipocar nos rostos de ‘quem interessa’: de Anna Dello Russo a Olivia Palermo, passando por Emma Stone e as próprias Kardashians. Todos embarcaram na onda do So Real. Tanto é verdade que não tardou até que a marca lançasse o modelo em diversas combinações de metal e com a lente bi-color.

O furor foi tamanho, que o So Real abriu alas para outras criações como o Dior Technologic, Dior Mirrored, Dior Reflected, Dior Abstract… Dior whatever you want!!!

Até eu cedi… a moda pega!

Eu vejo flores

Chegou a primavera! E sabe o que virá de monte? Flores e cores.

Cores, perfumes, leveza e a promessa de um verão delicioso. As passarelas já anunciaram as tendências primavera/verão 2016. Estampas, texturas, artsy, retrô… numa boa… um pot-pourri, porque moda é isto aí, uma mistura e reciclagem constantes.

Óculos enquanto acessório vem acompanhando estas estações, conforme as coleções. Mas por ser um item tão especial, tão desejado e tão marcante, os próprios designers (salvo, claro, as marcas que existem enquanto labels de roupa), se permitem mais flexibilidade criativa e narrativa.

Fracamente acredito em mudanças, e variedade, mas moda enquanto tendência.. não sei não… óculos não sai de moda nunca. Diquinha… não jogue seus modelos ‘antigos’ fora e corra já para a gaveta da vovó e pegue tudo que ela usava quando moçoila!

Inegavelmente a primavera chegou e #flores estão em alta. Separamos os óculos de sol mais divertidos que traduzem este clima delicioso, feminino e casual.


Já assistiu?
Tem mais